300 mortes por COVID em 6 meses: o vírus passeia pela casa do são-carlense

São 300 óbitos em 6 meses em São Carlos. Mais de 300 famílias choram todos os dias pelos seus entes que foram levados pela COVID-19. Enquanto a vacina não chega para todos, apesar do Governo do Estado ter divulgado o calendário hoje, a única maneira de deter o vírus é seguir os protocolos sanitários. Ou seja: não aglomerar, evitar festas clandestinas, usar máscaras, lavar as mãos com água e sabão sempre que possível, utilizar álcool em gel, manter a limpeza ao máximo para fugir do vírus mortal.

Só hoje são 170 casos positivos e quatro mortes e a sensação na cidade, depois do comunicado da UNIMED São Carlos é que nada está bem, os índices estão piorando.

Vejam o que a própria cooperativa médica frisa em seu comunicado divulgado à imprensa:

“Nos últimos dias, a Unimed de São Carlos vem registrando alta demanda de internações, tanto em sua enfermaria, localizada no espaço da Cooperativa na Santa Casa, como na UTI, no Hospital da Unimed São Carlos – Unidade 1. A taxa de ocupação chegou a quase 100% na enfermaria e na UTI o índice chegou a quase 150% da ocupação, resultando na necessidade de ações emergenciais que possibilitaram o pleno atendimento a todos os beneficiários, e ao mesmo tempo mantendo o máximo possível de cirurgias. Vale destacar o esforço dos nossos profissionais que, mesmo cansados, não estão medindo esforços para oferecer o melhor serviço, atenção e os cuidados necessários nessa fase tão difícil. Entretanto, essa luta é de todos.

Assim, mais uma vez alertamos que o pior da pandemia ainda não passou. Os casos aumentam cada vez mais e a vacinação ainda está longe de permitir um afrouxamento das medidas de segurança. Todos estão cansados, mas ainda não é hora de baixar a guarda e permitir um caos ainda maior no sistema de saúde e, consequentemente, a perda de familiares e amigos próximos”.

São Carlos vai sofrer o repique forte da terceira onda que parece a segunda que na verdade ainda está com cara de primeira, ou seja, se a vacinação não correr nada se modificará, os números continuarão a subir como um rojão e nós invariavelmente poderemos ver o cenário ficar ainda pior. Tudo poderá ser fechado de novo.

A UNIMED alega que se as medidas de restrição forem afrouxadas o caos no sistema de saúde poderá ser ainda pior. Será que as pessoas conseguem entender a gravidade dessa afirmação? Será que nem com as UTIs com 150% de ocupação as pessoas ainda não entenderam o buraco em que estamos?

Um profissional de saúde da linha frente foi muito claro ao comentar os 300 óbitos e os milhares de casos positivos em São Carlos apenas neste ano: “O Coronavírus está passeando na casa do são-carlense porque as pessoas não estão se protegendo! Não estão acreditando na gravidade da doença!”

Aliás, a própria Prefeitura precisa fazer mais, depois de tantos contaminados no Paço Municipal, é hora de uma resposta mais contundente para a sociedade são-carlense.

Renato Chimirri