A Estação Experimental e a região do Broa não podem queimar desse jeito

Destruição total

O que vimos ontem e estamos acompanhando é um verdadeiro descaso e uma grande vergonha para a sociedade como um todo no que diz respeito a esse terrível incêndio na região de Itirapina, mais precisamente na mata perto do Broa e da Estação Experimental.

Sabemos que as condições climáticas estão facilitando a presença do fogo, temos consciência dos imbecis que muitas vezes ateiam fogo na mata por puro prazer, porém naquele local há anos deveria existir uma estrutura competente para se combater incêndios a fim de que o ônus não recaísse apenas nas mãos da pequena cidade de Itirapina. Não estou aqui retirando a responsabilidade do município, contudo este local já deveria ser melhor coberto por uma política de preservação há tempos.

Até hoje não é possível entender porque não há uma estrutura permanente (que funcione de verdade) por ali para cuidar dessas coisas, pois a biodiversidade da região é riquíssima e agora está em alto de risco devido a calamidade que estamos vivendo. Porém, é nítido que em toda essa situação seria mais do que necessário uma política efetiva do Estado para cuidar dessas áreas que praticamente ficam à mercê de sua própria sorte.

Ontem vimos o prefeito de Itirapina, Zé Maria Cândido, dizer que aguardava os aviões estaduais para que o combate ao fogo fosse realizado de maneira mais efetiva, não tenho informação de que essa ajuda chegou, mas posso dizer que em cada reserva deste tipo seria fundamental que houvesse pelo menos um helicóptero para essa situação. Seria pedir demais? Acho que não, SP é o Estado mais rico da federação brasileira e teria amplas condições de zelar pelo meio-ambiente de uma forma muito mais competente do que essa que estamos vendo.

Contudo, o discurso do governo estadual é apenas o de privatizar, vender e conceder, como se o apregoado estado mínimo que eles defendem resolvesse alguma coisa, se isso fosse tão bom não estaríamos cobertos por um cinturão de pedágios em qualquer estrada que ousamos circular.

Cuidar do meio-ambiente e usar aquela reserva de maneira adequada deveria ser política pública efetiva não apenas palavras ao vento. Porém, como dizia o mitológico escritor Eduardo Galeano: “Se a natureza fosse um banco, ela já teria sido salva há muito tempo!”

 

Renato Chimirri