A moda em São Carlos é mobilizar a militância para votar em enquetes

Urna é segura/Foto: Fábio Pozzebom

Ao invés de construírem propostas ou defender um projeto político que possa ser executado, os políticos da cidade resolveram mobilizar suas respectivas militâncias para votar em enquetes. Isso mesmo, aquele modelo de pergunta tipo: em que você votará para prefeito? Ou então, você gosta mais de azul, vermelho ou verde?

Dizem pelos bastidores que tem político que passa o dia ao telefone falando para apoiadores votarem no seu nome nas mais diversas enquetes que pululam pelas redes são-carlenses. Será que esse pessoal ainda não entendeu que este tipo de coisas não tem nenhum valor científico? Mesmo aqueles que estão gastando os tubos por aí fazendo pesquisas com institutos de renome, neste momento, cometem erros estratégicos.

Ainda não é a hora para este tipo de movimento. Agora, neste instante, foi dada a largada para a construção de propostas e atuações nos bastidores, para a costura de alianças, acordos políticos e montagem de chapas de vereadores. Pesquisa ou enquete, por enquanto, serve apenas para ser uma foto velha guardada em uma gaveta daqui um certo tempo.

Aliás, político que perde tempo pedindo para apaniguado mandar a família votar em seu nome neste tipo de levantamento não merece a mínima credibilidade. Gente, São Carlos é uma cidade que merece projeto, ideias, trabalho e inovação. É preciso aproveitar o potencial do município e não ficar vivendo de quirelas que outros jogam por aí. Ganhar enquete neste momento é a mesma coisa de enxugar gelo, desentortar banana ou fazer trança em um careca, ou seja, não serve para porcaria nenhuma.

Está faltando para a política local gente que proponha e que seja capaz de olhar com carinho os problemas que temos e apresentar soluções.

Triunfo em enquete é uma verdadeira “Vitória de Pirro”.

Renato Chimirri