A morte do estudante e a TUSCA

A morte do estudante de medicina ocorrida em São Carlos às vésperas da TUSCA chocou as pessoas da cidade e muita gente que não sabe como a festa vem sendo organizada começou a culpar os jogos pelo ocorrido.

É bem verdade que no passado a TUSCA foi responsável direta por fatalidades que deixaram São Carlos estarrecida. Tivemos mortes em córregos, pessoas atropeladas e outros casos que fizeram com que a sociedade criasse determinada antipatia pelos jogos.

Porém, ao longo do tempo isso foi mudando justamente porque a TUSCA teve a exata noção de que era preciso se reinventar como festa e assim ganhar a simpatia da população com ações sociais e também a exposição dos benefícios econômicos que o evento proporciona para a cidade.  A TUSCA se profissionalizou.

Numa estimativa rápida, se diz que a TUSCA colocará em São Carlos no ano de 2018 pelo menos R$ 12 milhões na economia, em tempos de crise grave nos setores produtivos essa é uma notícia profundamente importante para o são-carlense. Como todos já sabem, os hotéis estão abarrotados e o consumo no comércio, sobretudo em bares e restaurantes irá aumentar por conta das festividades.

É claro que a morte do rapaz (aqui aproveitamos para lamentar demais e prestar nossas condolências para a família nesse momento de dor tão imensa) precisa ser apurada com rigor pela Polícia Civil para que assim se elucide as razões pelas quais ocorreu um episódio tão triste em São Carlos. Não podemos esconder o caso, muito menos deixar sem esclarecimentos sobre o que aconteceu.

Todavia é preciso lembrar para a sociedade são-carlense que a TUSCA e as demais festas universitárias de grande porte que recebemos rendem divisas para a cidade, afinal de contas os universitários são grandes consumidores e sem eles morando e comprando em São Carlos a cidade não seria metade do que é hoje, ainda mais em tempos de uma Prefeitura com governo fraco e falta de projetos estruturantes.

Não adianta as pessoas usarem as redes sociais para passarem o seu dia querendo malhar a TUSCA e demais eventos. Meter o pau nas festas, sem dúvida, é uma iniciativa pouco inteligente afinal de contas certamente quem está criticando os eventos ou tem um parente que vai ou tem alguém que de determinada forma está sendo beneficiado pelas festas com compra em seu comércio, no seu hotel ou então com um emprego direto e indireto.

Na verdade, o que São Carlos precisa fazer é se atentar que deveríamos ter uma espécie de Parque das Festas Universitárias, assim como Barretos tem o Parque do Peão e fazer disso uma atividade de maior sucesso ainda para a cidade.

Contudo, o que vemos são vereadores que não conseguem distinguir um cartaz sobre tolerância religiosa de apologia da violência. Vivemos um momento político triste no país e as pessoas parecem que não conseguem mais pensar com lucidez e exatidão.

Renato Chimirri