A pandemia avança e quantos bares resistirão em São Carlos?

Reunião na Prefeitura

Não está errado dizer que o governo do Estado endureceu as restrições ao COVID-19 após as eleições municipais onde o candidato do partido que está no poder, Bruno Covas, foi reeleito prefeito da capital. O fato é que agora essas restrições estão pesadas, com bares fechando às 20 horas e o empresário está com a brocha na mão. Se o governo tivesse endurecido as medidas antes, talvez agora, uma queda de casos teria sido registrada de maneira mais acentuada e as atividades em plena época de Natal não seriam tão restritas nestes estabelecimentos. Estamos pagando flexibilizações feitas em momentos errados.

A pandemia de COVID-19 exige sacrifício, muitas pessoas estão morrendo no Brasil, em São Carlos as contaminações crescem e a Prefeitura está de mãos atadas porque tem que cumprir decisão judicial de seguir à risca o Plano SP, decisão que já foi contestada pelo município, mas que correrá ao gosto da velocidade da justiça para ser decidida e, convenhamos, isso até se transforma em fato conveniente para a administração (neste momento) ser obrigada a seguir a decisão.

O fato é que o setor de bares é composto por muitas pessoas: os donos e suas famílias, os empregados destes locais, os trabalhadores entregadores, aqueles que fazem a limpeza, além do importante pessoal do entretenimento. A pandemia destroçou quem atua nessas áreas, vi cantores que passaram a trabalhar com comida de maneira muito digna, pois o ganha-pão musical simplesmente se desfez com tudo fechado e agora que voltavam, a situação ficou difícil novamente.

O momento é de apreensão, acredito que o Governo do Estado deveria ter pensado num fechamento diferente antes das eleições para diminuir casos, depois do pleito passado qualquer atitude que o Governo Doria tome soa como algo inócuo devido ao afrouxamento antes do período de votação, neste caso, além de estarmos diante da questão sanitária, estamos frente a questão política.

Dito isso, também não podemos esquecer a inoperância do governo Bolsonaro no que diz respeito a vacinação. Não há plano formado, não há datas, não tem estoque de material para a vacinação e muito menos uma definição exata do momento em que isso começará. Essas incertezas também pegam na veia do comerciante que precisa trabalhar, se houvesse algo concreto no que diz respeito à vacinação, certamente o ânimo seria outro.

Os profissionais de São Carlos estão sofrendo, tendo que fechar seus comércios mais cedo, não podendo vender, ao passo que a pandemia cresce, sem contar que tem muita gente que frequenta os locais e acaba não seguindo as regras impostas fazendo com que toda a sociedade, em tempos de pandemia, pague um alto preço com restrições e mais restrições.

O momento é muito duro, a economia de São Carlos está estagnada e poderemos ter um prejuízo ainda maior no setor de serviços e ao mesmo tempo vemos a pandemia descontrolada, o que afeta diretamente quem gera emprego nesse setor. Toda a sociedade sofre e o desemprego cresce. Triste sina para a nossa cidade! Quantos bares resistirão depois da pandemia? Essa é a pergunta que fica…

Renato Chimirri

Fotos: Maurício Duch