A população do Cidade Aracy precisa se proteger contra a COVID-19

Use máscara

Um profissional da área da saúde conversou com este jornalista e fez um alerta: “Os moradores do Cidade Aracy precisam levar a sério as medidas de prevenção contra a COVID-19”.

Ele disse que o bairro tem muitos casos suspeitos e que somente as medidas distanciamento social, bem como o uso de máscara, vão ajudar a mitigar o problema, além da vacinação em massa da população o que consiste num fator que certamente servirá para nos devolver a vida praticamente normal se realmente for efetivada pelo governo com maior rapidez.

É claro que a maior frequência e oferta de transporte coletivo é outro fator que ajudará e muito a fazer com que o vírus circule menos pelo bairro. Contudo, o profissional alertou: “As pessoas necessitam ter consciência que a máscara realmente protege, não é para sair na rua com a máscara no pescoço e colocar só quando entra no supermercado e na padaria, mas sim usá-la a todo tempo enquanto se está fora de casa”.

O profissional atua em São Carlos há muitos anos e outro dia “passeou” pelo Aracy por um tempo e viu as cenas. “As pessoas não estão se protegendo, não podemos ter jogo, gente em praça, esses queridos cidadãos podem ser contaminar e depois levar a doença para casa e passar a alguém que poderá, no futuro, precisar de UTI que hoje estão escassas”, diz.

Com o comércio aberto, ele também pediu atenção aos comerciantes: “Os comerciantes são pessoas honradas e que precisam trabalhar, mas peço a eles que não recebam ninguém sem máscara, pois se tivermos muitos casos toda a cidade regredirá e fecharemos novamente, não é hora de relaxar”, assegura.

Notificações

Com quase 700 notificações nos últimos 30 dias, o Cidade Aracy é o local onde mais se tem relatado casos de COVID-19. O Centro de São Carlos fica em segundo lugar com quase 150 no período. O Cruzeiro do Sul é o terceiro colocado, Antenor Garcia quarto e Santa Felícia o quinto. Jardim Ipanema e Jóquei Clube estão quase empatados, em sexto e sétimos lugares. Vila Prado, Jardim Beatriz e Eduardo Abdelnur vem na sequência.

Nos últimos 30 dias a faixa etária que mais teve exames positivos para a COVID-19 foi a de 18 a 30 anos, a segunda faixa mais positivada é a de 31 a 40 anos, a terceira de 41 a 50 anos. Praticamente empatados, estão menores de 18 anos e 51 a 60 anos, de 61 a 70 anos é a penúltima faixa hoje mais positiva e maiores de 71 anos, onde a vacinação tem feito efeito, representam pouquíssimos exames positivados como mostra o gráfico em questão.

Acompanhe a tabela: