A Prefeitura tem que garantir a segurança nas UPAs

Briga na UPA

O episódio de briga envolvendo um homem e travestis na UPA da Vila Prado no final de semana não foi o primeiro e nem será o último. Segundo consta, não há segurança no local, ou seja, não se tem mais o Guarda Municipal na área como havia no passado, isso estaria acontecendo desde o início da pandemia de COVID, pois também houve a criação da Força-tarefa de fiscalização.

Porém, esse parece ser o tipo caso de se vestir um santo para desvestir o outro. A GM faz um bom trabalho, mas se eles não podem mais ficar nas três UPAs (Vila Prado, Aracy e Santa Felícia) a Prefeitura deveria ter resolvido essa situação de alguma forma. Por exemplo, terceirizando a segurança, por que esperar esses episódios lamentáveis se repetirem para que a questão viesse à tona?

Se quem toma conta da área de saúde e administra cidade não viu este problema, agora, com a mídia divulgando o caso a situação entra na berlinda e aqui cabe, novamente, um puxão de orelha nos vereadores que deveriam entrar na questão em prol do funcionalismo, pois quem atua na UPA atendendo o povo, em tempos de pandemia, merece atenção de 200% e não apenas 100%.

Quem atua na linha de frente dessas unidade trabalha com medo, o quebra-pau parece constante, sem uma segurança mínima fica a sensação de que algo pode acontecer a qualquer momento e se já aconteceu, por sorte, ou por desconhecimento da imprensa, ninguém sabe se um funcionário acabou agredido ou ameaçado nestes locais. Sendo assim, não adianta ficar dando entrevistinha bonitinha na imprensa, é preciso agir, arrumar a questão da segurança, conversar com o prefeito e dar dignidade para essa gente que está cuidado dos outros no meio da pandemia mais mortal do século XXI e não consegue, sequer, trabalhar em paz.

Cumpre também pedir ao Sindspam que tome a frente desse situação para ajudar na resolução desse problema, pois essa necessidade é para ontem. Servidores que precisam de paz para salvar vidas hoje atuam sem saber o que lhes espera durante uma troca de plantão.

É hora da Prefeitura se mexer e amparar esses servidores, pois eles são a face principal da gestão municipal na área de saúde.

Renato Chimirri