Airton Garcia e Roselei Françoso pleiteiam novas escolas estaduais para São Carlos

Vereador Roselei Françoso, prefeito Airton Garcia, dirigente de Ensino Débora Costa Blanco e Carlos José Pires, com o Subsecretário de Articulação Regional, Patrick Tranjan

O presidente da Câmara Municipal vereador Roselei Françoso, o prefeito Airton Garcia, a dirigente regional de ensino Débora Gonzalez Costa Blanco e o chefe de gabinete da Prefeitura de São Carlos José Pires (Carneirinho), estiveram reunidos com o Subsecretário de Articulação Regional, Patrick Tranjan, na tarde de segunda-feira (18), na sede da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo para solicitar recursos para obras na área de Educação.

A delegação de São Carlos solicitou a construção de uma escola estadual no bairro Jardim Ipanema,  onde já existe área doada para este fim e demanda para atendimento de estudantes a partir do 6º ano do ensino fundamental até o 3º ano do ensino , e também pleiteou uma creche-escola no distrito de Santa Eudóxia e um Centro de Formação para professores estaduais e municipais.

Durante a reunião a Dirigente Regional de Ensino, Debora Blanco, também deu ciência ao Governo do Estado sobre a demanda de São Carlos por mais quatro escolas estaduais nos bairros Jockey Clube,  Jardim Embaré,  Novo Mundo e Jardim dos Coqueiros. 

As escolas estaduais serão construídas com recursos do Governo do Estado com custo de aproximadamente R$ 7 milhões/cada escola e a contrapartida do município será fazer a licitação e o acompanhamento das obras.

O Subsecretário Patrick Tranjan se colocou à disposição para  discutir junto ao Secretário de Educação do Estado de São Paulo, Rossieli Soares, as demandas de São Carlos . Tranjan e ressaltou que “há possibilidades do Governo do Estado construir  as unidades escolares estaduais no município” e informou que dará retorno sobre as solicitações “o mais breve possível”.

O presidente da Câmara Municipal, vereador Roselei Françoso, explicou que a visita à Secretaria estadual de Educação foi para apresentar uma série de demandas  de São Carlos na área de Educação, “além das escolas estaduais do Ciclo II do Ensino Fundamental e Ensino Médio, da creche-escola no distrito de Santa Eudóxia e do Centro de Formação dos professores solicitamos também recursos para a ampliação da Escola Estadual “Adail Malmegrim Gonçalves no distrito de Água Vermelha”.

Roselei Françoso ressaltou ainda, que o próximo passo é levantar a documentação e as áreas  a serem oferecidas para o Estado. “Nós dependeremos da Câmara Municipal para aprovar a desafetação e a doação dessas áreas para a Secretaria da Fazenda do Governo do Estado”, afirmou.

Para a Dirigente Regional de Ensino, Debora Blanco, “a reunião foi muito produtiva para a construção de novas escolas para São Carlos para que possamos ampliar as escolas em tempo integral e oferecer maior conforto, a melhor qualidade possível de atendimento pedagógico para os nossos alunos e mais oportunidades de emprego para professores e funcionários, enfim mais progresso para o município”.

Débora  Blanco explicou também que não existe possibilidade de ampliação do ensino integral se não forem construídos novos prédios. Ela assinalou que atualmente as escolas Bento Cesar e Attilia Margarido não suportam toda demanda, obrigando muitos alunos a se locomoverem para o centro da cidade, que já está saturado.

“Na atual situação nenhuma criança e jovem dessa região terão oportunidades no Ensino Integral. Nossas escolas estão muito bem equipadas, com manutenção e reformas em dia, inclusive AVCB”, frisou Debora Blanco.

O prefeito Airton Garcia afirmou que “ficou combinado que a Prefeitura vai realizar todas as licitações para operacionalizar tudo que for preciso e o governo do Estado vai repassar os recursos para São Carlos”.

 “Tudo isso é muito positivo porque o estado vai repassar cerca de R$ 7 milhões  para a construção de cada escola estadual e a Prefeitura ,com a sua mão de obra e o seu Departamento de Licitação, deve fazer a contratação, esse foi o compromisso assumido pelo prefeito, executar, entregar as obras para que o Estado faça a administração”, informou Roselei Françoso. “Todas essas escolas são do Ensino Fundamental em período integral isso é muito positivo para podermos dar mais oportunidades de ensino integral para as crianças da nossa cidade”, finalizou.