“Alguns tiram a máscara para espirrar e tossir!”, diz funcionária

Máscara é fundamental

Ontem, 24, São Carlos registrou seis mortes por COVID-19 e passou dos 200 óbitos no ano de 2021. A pandemia segue firme na cidade e com poucos sinais de que arrefecerá tão cedo. Mesmo assim, o Estado flexibilizou atividades econômicas, pois estamos perto do dia das mães e os próprios comerciantes (gente decente e que precisa sobreviver) está enforcada com o fechamento prolongado de suas empresas, fruto da incompetência política dos governos que não correram atrás da vacina, bem como não deram um auxílio emergencial decente para quem precisa.

Contudo, conversamos com uma trabalhadora de supermercado e ela contou algumas coisas que são preocupantes. Segundo a jovem, algumas pessoas não tem a mínima noção do que estamos passando e não se protegem adequadamente. “Olha, já vi de tudo, a maioria está usando a máscara corretamente, mas tem gente que não, alguns retiram a máscara para espirrar e tossir dentro do mercado”, falou.

Perguntamos como é isso e ela foi bem direta: “Aqui nessa unidade teve um senhor, pelo menos uns 60 anos, que parou na minha frente, fez o gesto que ia espirrar, puxou a máscara e o fez, aquele espirro longo! Você já imaginou se ele está com o Coronavírus? Passou para um monte de gente!”

Porém, não foi apenas um. “Ah, tem mais gente, uma senhora tossiu muitas vezes e tudo sem máscara, depois colocou de novo, queria entender em qual parte das dicas de proteção nessa época de pandemia as pessoas foram instruídas a tossir para fora da máscara, o acessório é justamente para proteger da tosse e não deixar que os perdigotos invadam o ambiente, é muito difícil!”, ressaltou.

Ela também destacou os muitos clientes que deixam o nariz para fora. “Isso é direto, outro dia expliquei para um que o perigo era para ele e para mim, não gostou muito, não, falou que a máscara incomoda, porém acredito que incomoda mais ainda morrer sem ar, não é?”, disse.

Por outro lado, a funcionária se compadeceu de uma senhora com o neto. “Ela veio ser atendida por mim e me contou que é viúva e estava com a criança porque a filha precisa trabalhar e atua também em um serviço essencial, ou seja, essa senhora é uma heroína, veio comprar ingredientes para o almoço da filha, usava máscara adequadamente, assim como o netinho, um menino bonito, bastante curioso, como qualquer criança”, contou.

Fizemos e velha pergunta sobre o medo e a resposta veio na lata. “Tenho medo, todos temos, mas precisamos trabalhar, não posso parar, estou pagando estudos, ajudo em casa, mas pediria encarecidamente que as pessoas usassem a máscara adequadamente, né? Não custa nada! Além disso, a máscara não é para ser retirada quando se vai tossir ou espirrar, queria saber onde as pessoas aprendem este tipo de coisa, isso dá medo!”, concluiu.

Imagem de panos13121 por Pixabay