Alunos da rede estadual terão reforço e acolhimento na volta às aulas do segundo semestre 

Atividades fazem parte de um conjunto de medidas para mitigar as perdas educacionais causadas pela pandemia 

Os mais de 3,5 milhões de estudantes da rede estadual de São Paulo voltarão às aulas amanhã (26).  Já na primeira semana, os estudantes passarão por um processo de acolhimento e readaptação ao ambiente escolar por meio de ações de integração, inclusão e colaboração focadas nas competências sociemocionais, nos sonhos e projetos de vida dos estudantes. 

Após esse período, terão início as atividades de Recomposição das Aprendizagens, com foco no reforço e revisão do conteúdo ministrado ao longo do primeiro semestre a partir de novas abordagens e vivências, de forma que os estudantes possam suprir as eventuais dificuldades de aprendizado. 

A estratégia foi traçada a partir das evidências identificadas durante as atividades dos respectivos conselhos e no replanejamento para o segundo semestre letivo, nos quais foi identificado que ainda há o que avançar para mitigar as perdas educacionais causadas pela pandemia.   

Dados do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), apontam que a educação brasileira é a segunda mais afetada na América Latina pela pandemia, atrás somente do México. Diante disso, o Estado de São Paulo, desde 2020, tem envidado todos os esforços para identificar habilidades essenciais que precisam ser fortalecidas pelos estudantes nesse período. “A volta às aulas é um momento estratégico para desenvolver atividades de recomposição das aprendizagens com foco no acolhimento, recuperação, reforço e aprofundamento das habilidades essenciais, priorizadas para permitir que o estudante continue avançando. Essa é uma oportunidade para que o estudante possa aprimorar as aptidões desenvolvidas ao longo do curso”, afirma a coordenadora da Coordenadoria Pedagógica da Secretaria Estadual da Educação, Viviane Cardoso. 

A proposta é que a primeira quinzena de agosto seja exclusivamente dedicada ao Período de Recomposição das Aprendizagens, mas as unidades que sentirem necessidade, a partir do que for identificado pelos professores em sala de aula, poderão prorrogar as atividades até o final do mês. Para apoiar os professores a identificarem as habilidades que precisam ser retomadas, as avaliações continuarão abertas ao longo de todo o mês e como estratégia metodológica as escolas poderão agrupar os estudantes de diferentes idades conforme nível de conhecimento já adquirido e faixa etária, valendo-se do exemplo do Aprender Juntos, programa já em andamento na rede.