Antes de ser Faber-Castell, São Carlos teve sua própria fábrica de lápis

Prédio da fábrica Lápis Johann Faber

Da Fundação Pró-Memória

Em 31 de julho de 1926 entrou em funcionamento em São Carlos a primeira fábrica de lápis da América Latina: H. FEHR LTDA. Em 1925, o imigrante suíço Germano Fehr convenceu seu cunhado Fritz Johannsen a ir para a Alemanha estudar o processo de fabricação de lápis. Johannsen visitou várias empresas produtoras de lápis em seu país de origem e desenhou as principais máquinas, conseguindo reproduzi-las em São Carlos.
Em 17 de setembro de 1926, a nova indústria teve seu registro aprovado pela Junta Comercial do Estado de São Paulo. Germano Fehr era o maior sócio da sociedade composta por Bento Carlos de Arruda Botelho, Antonio Rolemberg, Affonso Pires Fleury, Arthur de Oliveira, Antonio Stroetter e Fritz Johannsen. 


Em 22 de maio de 1930, a Johann Faber alemã indicou que instalaria uma fábrica no Brasil. Com isso, Fehr e os outros sócios abriram mão do controle acionário da empresa e se associaram à empresa alemã, surgindo então a “Lápis Johann Faber LTDA”.
Atualmente a Faber Castell é considerada a maior fabricante de lápis do mundo em quantidade, tendo seu lugar garantido pela participação no mercado nacional e internacional.

Imagens: Prédio da fábrica Lápis Johann Faber, c.1940; Fritz Johansen, diretor da Fábrica de Lápis Johann Faber, c.1940; vista aérea da fabrica Johann Faber, c.1950; e funcionarios da fábrica de lápis Johann Faber, c.1980. Acervo APH-FPMSC