Aprisionadas, as cadeiras aguardam pela liberdade

Fonte imagem: https://g1.globo.com/rr/roraima/noticia/2020/01/02/pais-acorrentam-cadeiras-ate-em-arvore-para-guardar-lugar-em-fila-por-matriculas-em-rr.ghtml

Na terra onde jaz a Nascente do rio Ailã, no extremo Norte do gigante Brasil, está o Estado de Roraima. Sua capital nos passa uma essência de benevolência: Boa Vista. É início do ano e os dias de matrículas das crianças nas escolas estão para se abrirem. Uma cena artística e inusitada se forma nas proximidades das escolas: cadeiras acorrentadas nas árvores e grades.

 

Fonte imagem: https://g1.globo.com/rr/roraima/noticia/2020/01/02/pais-acorrentam-cadeiras-ate-em-arvore-para-guardar-lugar-em-fila-por-matriculas-em-rr.ghtml

A cena parece uma exposição de arte moderna. Não está exposta no MASP, nem no Museu Oscar Niemeyer, nem na Pinacoteca do Estado de São Paulo, mas sim nas ruas de Boa Vista para qualquer um apreciar. Dessa vez a arte é literalmente aberta ao público, ou melhor, feita pelo público.

A criticidade embebida na obra é enorme. Todo um sacrifício realizado para matricular as crianças nas escolas, um motivo digníssimo. Aquelas correntes que envolvem aquelas cadeiras como que aprisionando-as. Aquelas tatuagens que expõe os seus respectivos donos: o nome, a ordem de chegada e o telefone de contato. Para não as perderem, os proprietários das cadeiras revesam para cuidarem das cadeiras.

Apesar de presas, as cadeiras representam o início da liberdade: a Educação, que no Brasil parece andar como uma sem teto, vagando sem rumo e sem salário. Com fome e com sede, de comida e conhecimento. O que há de ser da Educação no Brasil? O que há de ser do conhecimento humano no país chamado Brasil?

A vontade de cada pessoa, ou melhor, de cada artista desse Brasil está exprimida nessa obra que ninguém expõe nos museus de arte moderna. Uma genuína obra coletiva feita pela necessidade do povo. Feita pela negligência do sistema político que não faz todas as escolas serem as melhores.

Qual a solução para a Educação brasileira? Ninguém parece saber e ninguém parece querer consertar. Apenas críticas e mais críticas. Quem sabe já possamos ir em postes pelo Brasil e encontrar cartazes dizendo “Procura-se: Educação do Brasil – Prêmio: R$ 1,00”.

 

Sara Oliveira de Carvalho Loss

São Carlos – SP, 04 de janeiro de 2020

 

Referências

Notícia usada como base para escrever a crônica:

G1 RR. Pais acorrentam cadeiras até em árvore para guardar lugar em fila por matrículas em RR. Disponível em: <https://g1.globo.com/rr/roraima/noticia/2020/01/02/pais-acorrentam-cadeiras-ate-em-arvore-para-guardar-lugar-em-fila-por-matriculas-em-rr.ghtml>. Acesso em: 04 jan 2019.