Araraquara prorroga o lockdown

Cidade continua parada

A partir de quarta-feira (24), caixas eletrônicos de agências bancárias poderão funcionar, assim como o delivery de supermercados, mercearias, padarias, açougues e varejões

A Prefeitura de Araraquara prorrogou até as 6 horas da manhã de sábado (27) o decreto municipal que estabeleceu as medidas mais restritivas de isolamento social para contenção da transmissão da Covid-19 e da nova cepa do coronavírus.

O chamado ‘lockdown’ estava previsto para terminar nesta terça (23), mas foi estendido devido à situação crítica dos leitos hospitalares no município, que estão com 100% de ocupação em UTI e em enfermaria, e aos índices de isolamento de 51% e 49% registrados pela Fundação Seade no domingo (21) e na segunda (22), respectivamente.

Em relação ao decreto anterior, em vigor desde domingo, serão feitas algumas alterações: postos de combustíveis poderão abrir das 8h às 18h para que veículos particulares utilizados por trabalhadores de serviços essenciais autorizados pelo decreto possam ser abastecidos; será permitida a entrega por delivery para supermercados (que já eram permitidos), mercados, mercearias, padarias, açougues e hortifrútis atacadistas e de varejo; será liberado o delivery para estabelecimentos de entrega de gás de cozinha e água em galões de 10 e 20 litros e, também, o delivery para o comércio de insumos médico-hospitalares e de higienização; será permitido o transporte de mercadorias, de valores e de combustíveis; e agências bancárias poderão abrir os caixas eletrônicos (autoatendimento), com distanciamento de 3 metros nas filas e desde que mantenham funcionário ou segurança para garantir a regularidade das filas.

Todas as outras proibições constantes no decreto desde domingo continuam valendo. Somente atenderão presencialmente as farmácias e as unidades de saúde. O transporte coletivo também não circulará.

Continua proibida a circulação de veículos e de pessoas na cidade sem uma justificativa baseada nos serviços permitidos pelo decreto. Será permitido sair de casa apenas para aquisição de medicamentos, obtenção de atendimento ou socorro médico para pessoas ou animais, atendimento de urgências ou necessidades inadiáveis ou prestação de serviços permitidos pelo decreto.

Quando abordadas pela fiscalização, as pessoas deverão apresentar, além do documento de identificação: nota fiscal da compra ou prescrição médica do medicamento adquirido ou a ser adquirido; atestado de comparecimento na unidade de saúde; carteira de trabalho, contracheque, contrato social de empresa que seja sócio, declaração de terceiro com identificação do indivíduo, do declarante e do endereço da prestação dos serviços; tíquete ou imagem da passagem (no caso de transporte intermunicipal); ou comprovação da urgência ou da necessidade inadiável por qualquer meio ou declaração.

Situação crítica

A quantidade de mortes em decorrência da Covid-19 em Araraquara quase triplicou neste mês de fevereiro (em 23 dias) em relação ao mês de janeiro inteiro, refletindo a circulação da nova cepa mais transmissível do coronavírus. Número de casos, média móvel, internações e infectados em isolamento domiciliar também dispararam.

Foi essa alteração na situação da pandemia que levou a Prefeitura a endurecer as restrições de isolamento social, já que a ocupação de leitos de UTI e enfermaria é de 100% em Araraquara e também opera próximo do limite em toda a região.

Em janeiro, mês no qual já era esperado um aumento das infecções devido às festas de final de ano, Araraquara registrou 2.029 casos e 24 óbitos. Neste mês, quando a cepa de Manaus foi detectada, são 3.327 novos casos e 65 mortes (sendo seis na segunda-feira e outras quatro nesta terça-feira).

O último boletim do Comitê de Contingência do Coronavírus registrou recorde de pacientes internados com Covid-19 em Araraquara: 243. São 1.376 pessoas em isolamento domiciliar por estarem infectadas com o coronavírus. Desde o início da pandemia, são 13.683 casos confirmados da doença e 181 óbitos.