As vezes as pessoas não querem falar com você

Eu tenho a mania de falar bastante com um monte de gente porque é dever do meu ofício, embora muitas vezes não goste de falar muito. Por exemplo, detesto falar logo que levanto, prefiro o silêncio, somente depois de alguns minutos, uns 20, pelo menos, é que começo a conversar alguma coisa.

 Mas a situação não é só essa. Nós não temos como saber o que o outro está sentindo e muito menos o que ele está passando. Sempre que puxamos uma conversa propomos um assunto que talvez a outra pessoa não queira conversar ou esteja cheia de falar sobre aquilo. Em muitos casos, a pessoa conversa com você “por educação” e quando ela externa isso nós nos sentimos muito mal.

A sensação é a pior possível, você parece que levou um soco, que é o último e que falou uma besteira do tamanho do mundo. O pensamento que surge na cabeça é sempre esse: “Como pude falar isso, né?”

É claro que não temos como saber o que o outro está sentindo e por isso puxamos uma conversa, entretanto, convém nestes tempos mais duros observar mais antes de sair falando qualquer coisa para tentar iniciar uma prosa. Essa forma mais, digamos, elaborada para chamar alguém para um diálogo, seja pessoalmente ou pelo whatsapp, pode evitar desgastes que talvez a gente não esteja disposto a enfrentar. Afinal, nem sempre o que queremos conversar pode ser exatamente o que a outra pessoa está precisando ouvir.

Entra neste caso também uma palavra que vem sendo muito usada ultimamente: a tal da “empatia”. Há pessoas que são empatas por natureza e que fazem bem às outras, mas há também aquelas que não conseguem ter essa qualidade e que precisam de um apoio para tentar desenvolver uma conversa.

Quem recebe um chamado para um papo tem sempre que ponderar se quer ou não falar. Seria sempre excelente que as pessoas tivessem um ataque de “sincericídio”  e dissessem que não estão a fim de papear. Isso evitaria tanta coisa, tantos percalços e situações muito chatas.

Quando você quer falar com alguém normalmente é porque aquela conversa lhe faz muito bem. Todavia, é preciso entender que nem sempre o outro lado quererá conversar contigo. Num sábado à noite, normalmente, as pessoas podem ter algo mais interessante a fazer do que ficar perdendo tempo com um papo que é estimulante somente para uma parte.

As vezes a gente confunde as bolas e se magoa por nada.

Renato Chimirri