Assassinato de mãe e filha choca São Carlos

Cena do crime reuniu forças policiais

O assassinato de Mariza Borges e sua filha Larissa Ernesto de apenas 18 anos é mais um choque na sociedade são-carlense. Os motivos do crime? A Polícia está apurando e já tem um suspeito sob custódia. Mas certamente podemos comparar essa barbárie a morte do tatuador Marcos Tsunami Gentil que ocorreu em dezembro do ano passado. Outro episódio de tristeza inexplicável.

Os dois crimes chocaram a sociedade, ainda mais da forma como esses corpos, no caso do crime de hoje, no Jardim Medeiros, foram descobertos. As duas pessoas foram assassinadas e seus cadáveres ficaram num imóvel por mais de uma semana e acabaram descobertos em situação de avançado processo de decomposição, um caso escabroso que nos faz pensar sobre qual o real valor da vida atualmente.

Para ir além disso, não podemos deixar de citar que este crime horrendo é um caso de duplo feminicídio, duas mulheres mortas, num país onde elas frequentemente são vítimas das mais brutais formas de violência e que invariavelmente terminam em morte. A pergunta que fica dessa história é a seguinte: até quando mulheres serão mortas de maneira brutal em São Carlos e no resto do Brasil?

Infelizmente, o homicídio dentro de uma casa é um crime que não é possível evitar com o aumento do policiamento nas ruas e outras medidas. Talvez, as mulheres tenham mais dignidade para viver e não sejam mortas com tanta frequência de maneira violenta se os governantes passarem a investir fortemente na educação.

Somente com o esclarecimento do importante papel da mulher na sociedade contemporânea é que começaremos a ver essas desastrosas estatísticas caírem, pois em nenhum momento, nenhum mesmo, será possível justificar um crime com tamanho grau de crueldade como esse que descobrimos hoje em São Carlos.

O que tiro de lição vendo essas notícias é que a vida ficou banal, não tem mais valor e pode acabar a qualquer momento, justamente num país onde jovens são mortos em favelas, pequenos jogadores morrem queimados em centros de treinamentos de equipes grandes e onde um dos principais comunicadores do país acaba morto numa tragédia aérea, junto com o piloto do seu helicóptero.

A vida no Brasil de 2019 parece que não tem mais valor. Em São Carlos, observamos uma escalada de crimes de violência que tem preocupado as autoridades e também os cidadãos comuns, como eu, você e outra pessoa que possa ler essas breves palavras.

O fato é que para diminuir esse grau de violência na sociedade o trabalho tem que ser a longo prazo e justamente passa por educar a base, pois se ela não aprender a conviver com a violência, por certo, não matará no futuro. Se isso não ocorrer, os crimes violentos tendem a aumentar ainda mais, o que é profundamente lamentável.

Renato Chimirri