Até quando as mulheres serão assassinadas desta forma em São Carlos?

Crime terrível

Dr. Gilberto de Aquino, delegado da DIG em São Carlos, deu a letra na noite desta segunda: “Mais um crime bárbaro, onde o machismo impera, onde o agressor não aceita o fim de um relacionamento!” São Carlos está chocada com o brutal crime ocorrido na rua Rio Amazonas, no Jóquei Clube, onde a senhora Ivonilda Silva Santos, foi covardemente assassinada por um homem com que teria desenvolvido um relacionamento no passado.

De acordo com as palavras do delegado, o crime foi com violência, cruel, e que não precisa ser descrito, facadas e uma vida ceifada. Ivonilda, mãe, trabalhadora e cidadã é mais uma vítima da tragédia e do inferno que são as vidas de muitas mulheres que sofrem todos os dias simplesmente pelo fato de serem quem são, um direito inalienável.

Nada, nenhuma atitude pode justificar tamanha maldade, tamanho crime, tanta violência. Nenhuma vida deve ser retirada porque um relacionamento não deu certo, as mulheres morrem todos os dias e são as mortes mais doloridas: em casa, no trabalho, nas ruas, seja com preconceito (morte moral) ou com a violência como neste caso.

O Brasil é um paraíso para o feminicídio, a sociedade brasileira é machista e em muitos momentos ignora os direitos das mulheres e um crime deste tipo deve servir de reflexão para que saibamos que as mulheres são dignas e precisam ter suas vidas respeitadas, elas tem o direito de fazer o que quiser, quando e onde bem entenderem. A vida delas não pode ser um brinquedo nas mãos de um qualquer. Chega!

Em São Carlos tivemos casos escabrosos de feminicídio, inclusive com vítimas mortas e seus corpos deixados apodrecendo dentro de uma residência, são tantas histórias tristes que podemos sentir o quanto as mulheres são desrespeitadas em seus direitos por aqui.

Hoje, conversando com uma mulher que conhecia a vítima, ela me disse que a moça era uma boa pessoa, trabalhadora, honesta e que agora está morta por um motivo fútil. “Não dá para acreditar, sempre a via, pessoa gentil e feliz”, ressaltou.

Ivonilda, a vítima, não pode seguir sua vida porque um homem com covardia e machismo simplesmente não quis. A pergunta que fica é a seguinte: “Até quando?”

Como disse o dr. Gilberto de Aquino para esse crime hediondo só resta uma coisa: “Cadeia!”

Renato Chimirri