Aulas presenciais retornam para 55 das 61 escolas municipais na próxima segunda, dia 7

Professora Wanda Hoffmann é Secretária da Educação

A Prefeitura de São Carlos confirmou para a próxima segunda-feira, 7 de fevereiro, o início do ano letivo de 2022 em sua rede municipal de ensino. As atividades pedagógicas das unidades escolares preveem o retorno de 100% das crianças, jovens e adultos em modo presencial. No total, serão mais de 18,9 mil atendimentos, segundo dados da Secretaria Municipal de Educação (SME) obtidos em janeiro deste ano.


Dentre as 61 escolas da rede municipal 6 CEMEIs terão data de início diferente: os CEMEIs “Maria Alice Vaz de Macedo”, “Maria Consuelo Brandão Tolentino”, “Homero Frei” e “Renato Jensen” somente retornarão depois de estarem adequadas, principalmente com os reparos, em cozinha e em telhados, pois nestes dias com as chuvas houve a necessidade de manutenção. Já os CEMEIs “Ruth Bloem Souto” e “Bruno Panhoca” aguardam a decisão judicial para proporcionarem o retorno às aulas presenciais.


A Educação Infantil para crianças de 0 a 5 anos retornará com vivências e ações lúdicas envolvendo as famílias das crianças matriculadas. Isso é necessário porque nas duas etapas – a creche (0 a 3 anos) e a pré-escola (4 a 5 anos) – os cuidados devem ser mais rigorosos em se tratando de uma política pública pós-pandemia da Covid-19. Nos 50 Centros Municipais de Educação Infantil (CEMEIs), serão 12.321 atendimentos.


Para o Ensino Fundamental I e II (de 6 a 14 anos matriculados do 1º ao 9º Ano) serão 10 Escolas Municipal de Educação Básica com 6.426 atendimentos. A Educação de Jovens e Adultos (EJA) será ofertada na EMEJA “Austero Manjerona”, no Centro, e ainda nos polos de atendimento em diversos bairros para pessoas acima de 15 anos que ainda não completaram o Ensino Fundamental, da alfabetização ao 9º Ano.


De acordo com a Secretária de Educação de São Carlos, Professora Wanda Hoffmann, o ano letivo de 2021 ofereceu grandes desafios devido ainda à pandemia. Por outro lado, os desafios precisam ser superados para, neste momento, acolher os estudantes e seus familiares. “É necessário ter um olhar atento aos nossos estudantes, agir de forma diferente, identificar quais são as adaptações e manter o foco pedagógico que está proposto na rede”, afirmou. “Nós vamos ter que superar muitas coisas, fazer um processo de avaliação mais apurado e elaborar diagnósticos para sabermos qual o nível de aprendizagem dos estudantes, para o planejamento de estratégias com vistas à superação das dificuldades”.


Para a Educação Infantil, o objetivo é um acompanhamento mais próximo às crianças com relação ao seu desenvolvimento. Para o Ensino Fundamental, três eixos serão fundamentais para o aprendizado dos estudantes: a questão da alfabetização, a questão da produção textual e a questão do raciocínio lógico.


Em parceria com a SME, a Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Vigilância Sanitária, acompanhará a aplicação dos protocolos sanitários, como o uso de máscara e uso de álcool gel para toda a comunidade escolar, sempre ressaltando a importância dos hábitos de higiene.


A SME compreende e precisa respeitar a excepcionalidade que a sociedade viveu e ainda vive com a pandemia da COVID-19. A volta às aulas, agora em modo presencial, depois de ultrapassar tantos desafios com o modo remoto e o modo híbrido, sempre proporcionará estudos cada vez mais constantes e aprofundados, compreendendo as diversas nuances do ambiente pedagógico, de acordo com as especificidades de cada faixa etária.


A SME também entendeu o clamor das famílias para o retorno à chamada “normalidade” com o atendimento 100% presencial das crianças e adolescentes, uma vez que sempre houve a vontade da comunidade escolar em ter a escola como lugar seguro para a convivência de servidores públicos, professores e trabalhadores da educação. Porém, até que a imunização fosse satisfatória para pessoas acima de 5 anos, não foi possível traçar um plano mais concreto. Com o Plano São Paulo em curso e com a chegada da vacina, a volta das aulas 100% presencial tornou-se uma realidade em São Carlos.


“Toda a equipe técnica da SME está engajada nessa missão tão complexa e está envolvida, pois nosso compromisso é reconstruir, reorganizar e restaurar o que nós estávamos conduzindo antes da pandemia”, disse a secretária Wanda Hoffmann. “Não será um trabalho fácil, não vai ser muito simples, mas temos que ter em mente que todos estamos nos esforçando, todos os professores, todos os trabalhadores da educação, todos estão fazendo esse grande esforço pela nossa Educação, pelos nossos estudantes, sempre proporcionando soluções criativas para buscar a superação das situações que vão surgindo”.