Brasil terá 8 chuvas de meteoros até 14 de dezembro

Meteoro é o nome científico de “estrela cadente”. Quando ocorre uma chuva de meteoros podemos ver as “estrelas cadentes” riscando o céu, como se rastros luminosos caindo do céu.

Entre as noites de 06 a 14 de dezembro o céu do Brasil será infestado de meteoros. Serão oito chuvas de meteoros, sendo que seis delas irão ocorrer próximas entre si, incluindo a belíssima chuva de meteoros Geminids que proporciona a observação de 150 meteoros a cada uma hora.

Sem dúvida será um belíssimo espetáculo no céu para ser observado a olho nu, principalmente, para os observadores localizados nas cidades que possuem pouca ou nenhuma poluição luminosa.

Quem poderá observar?

Qualquer observador localizado no Brasil, desde que esteja localizado numa cidade com pouca ou nenhuma poluição luminosa, tendo um céu sem nuvens e sem nebulosidade.

Saiba o que são meteoros, as populares estrelas cadentes, e como observá-los

8 chuvas de meteoros entre 6 e 14 de dezembro de 2020

Entre as noites de 06 e 14 de dezembro de 2020 teremos oito chuvas de meteoros.

A tabela 1 apresenta as principais informações dessas chuvas..

Informações sobre as 8 chuvas de meteoros que ocorrem entre 6 e 14 de dezembro de 2020

Agora que temos a relação das oito chuvas de meteoros, vamos detalhar cada uma delas para saber como observá-las.

1. 06/12-2020 – Phoenicids (PHO)

Resumo: melhor noite de observação ocorrerá em 06 de dezembro de 2020, a partir das 20 horas (aproximadamente), com previsão variável na quantidade de meteoros, podendo chegar até 100 meteoros por hora e magnitude de 2.8. A Lua não atrapalha as observações dos meteoros.

Pelo histórico, a chuva Phoenicids possui uma variação acentuada, quando analisada sua taxa horária zenital. Por isso, a previsão é entre 3 a 100 meteoros a cada uma hora. Durante essa chuva de meteoros, para esse ano a Lua não irá ofuscar o brilho dos meteoros. Será uma bela chuva de meteoros para ser contemplada fora das cidades com poluição luminosa. Nas cidades com poluição luminosa, por causa da magnitude prevista de 2.8, a observação a olho nu será prejudicada, porém vale tentar observar.

A constelação da Fênix pode ser observada logo após o pôr do Sol, bem alta no céu, no horizonte sul, localizada um pouco mais abaixo em relação ao ponto mais alto do céu.

Explicando melhor, logo após o pôr do Sol, para auxiliar a localização dessa constelação no céu, o observador deverá saber que, após ter localizado o horizonte sul, basta subir os olhos cerca de 60 graus e contemplar a região que irá ocorrer o radiante da chuva. Outra referência para localizar essa constelação é identificar a estrela brilhante Achernar (magnitude 0.4) da constelação do Erídano, que está próxima da constelação da Fênix. Vale tentar observar essa bela chuva e torcer para que tenhamos mais de 100 meteoros a cada uma hora.

A figura 1 apresenta o local de observação dessa chuva para a noite de 06 de dezembro de 2020, às 20 horas

Figura 1: Localização do radiante da chuva de meteoros Phoenicids

É importante ressaltar que a figura 1 ilustra o céu para a Região Sudeste do Brasil. Para as demais regiões a altura do radiante dessa chuva pode ser diferente, ou seja, para as regiões localizadas ao norte do Brasil, o radiante estará mais próxima da linha do horizonte sul, enquanto que, para as regiões localizadas ao Sul do Brasil, o radiante da chuva estará bem mais afastada (acima) da linha do horizonte sul. Ainda sobre a figura 2, perceba que o radiante da chuva de meteoros Puppid-Velids está localizada próxima do horizonte sudeste. Leia as informações sobre essa chuva de meteoros para poder contemplar essas duas chuvas de meteoros nas noites de 6 e 7 de dezembro.

2. 07/12/2020 – Puppid-Velids (PUV)

Resumo: melhor noite de observação ocorrerá em 07 de dezembro, a partir das 22 horas (aproximadamente), com previsão entre 5 e 10 meteoros por hora e magnitude de 2.9. A Lua não atrapalha as observações dos meteoros.

O radiante da chuva Puppid-Velids está localizado na constelação da Vela, porém bem no limite com a constelação da Popa. Para esse ano, a Lua não irá atrapalhar a observação dos meteoros. Apesar disso, mesmo para os moradores nas cidades com poluição luminosa, a observação desses meteoros não será tão fácil de ser realizada, por causa do fraco brilho dos meteoros. Já, para os moradores nas cidades com pouca ou nenhuma poluição luminosa a observação será fácil de ser realizada.

A localização do radiante dessa chuva na constelação da Popa é simples de ser realizada. Logo após o ocaso do Sol a constelação da Popa irá surgir no horizonte sudeste. Porém, esse não será o melhor horário de observação. O observador deverá esperar até, aproximadamente, às 22 horas para iniciar a contemplação dos meteoros.

Para esse horário, a constelação da Popa estará pouco acima do horizonte leste-sudeste. Para facilitar a localização do radiante desta chuva é interessante utilizar a brilhante estrela Canopus. Com o avançar das horas, teremos o melhor momento de observação dessa chuva que ocorrerá, por volta das 3 horas da manhã. Nesse horário a constelação da Popa estará localizada acima do ponto cardeal sul, próxima da parte mais alta no céu.

A figura 2, concebida para às 23 horas e 59 minutos, na noite de 7 de dezembro de 2020, ilustra a região do céu que devemos observar os meteoros oriundos da chuva Puppid-Velids. Utilize a brilhante estrela Canopus para localizar o radiante dessa chuva de meteoros.

Localização da chuva de meteoros Puppid Velids

Perceba pela figura 2, que nessa região do céu ainda será possível contemplar a chuva de meteoros Phoenicids.

Vale saber ainda que a velocidade estimada dos meteoros é de 37 km/s e os meteoros dessa chuva geralmente possuem uma cor azulada, proporcionando um belo espetáculo no céu.

3. Chuvas de meteoros:

08/12 – Monocerotids (MON)

10/12 – Northern chi Orionids (XOR)

10/12 – Southern chi Orionids (XOR)

10/12 – 11 Canis Minorids

11/12 – Sigma Hidrids (HYD)

14/12 – Geminids (GEM)

Durante as noites de 08 a 14 de dezembro, teremos seis chuvas de meteoros ocorrendo próximas entre si e podendo ser visíveis a olho nu, mesmo nas cidades com poluição luminosa. Vale lembrar que para os observadores localizados nas cidades com poluição luminosa a quantidade de meteoros por hora (THZ) será menor, se comparada com os observadores localizados nas cidades sem poluição luminosa. Mas isso não significa que deixará de ser um belo espetáculo no céu.

Como as datas dessas seis chuvas de meteoros são relativamente próximas, o que poderemos ver são vários meteoros riscando o céu nas constelações do Unicórnio, Órion, Cão Menor, Hidra e Gêmeos. Vamos as descrições de cada chuva de meteoros e no final comparar as informações apresentadas com a localização de cada uma dessas chuvas ilustradas na figura 3.

3.1. 08/12/2020- Monocerotids (MON)

Resumo: melhor noite de observação ocorrerá em 08 de dezembro, a partir das 22 horas e 30 minutos (aproximadamente), com previsão de 2 meteoros por hora e magnitude de 3.0. A Lua não atrapalha as observações dos meteoros.

A primeira chuva dessa região do céu será a Monocerotids, localizada na constelação do Unicórnio. Em 08 de dezembro e, praticamente durante todo o mês, essa constelação se fará presente acima do horizonte leste, por volta das 21 horas. Porém a contemplação dos seus meteoros, poderá ocorrer após às 22 horas e 30 minutos.

A baixa quantidade de meteoros por hora, cerca de 2 a cada uma hora, não empolga a observação por si só dessa chuva. Porém, como nos dias 10 a 13 de dezembro teremos a ocorrência de outras cinco chuvas nesta região do céu, pode ser que observaremos outros meteoros, oriundos dessas chuvas de meteoros.

3.2. 10/12/2020 – Northern chi Orionids (XOR) e

Southern chi Orionids (XOR)

Resumo: melhor noite de observação ocorrerá em 10 de dezembro, a partir das 22 horas (aproximadamente), com previsão de 5 meteoros por hora e magnitude incerta. A Lua não atrapalha as observações dos meteoros dessas duas chuvas.

O chi Orionids Complex, que compreendem as chuvas Northern chi Orionids (XOR) e Southern chi Orionids (XOR) praticamente ocorrem no mesmo lugar, próximas das populares “Três Marias”, localizadas na constelação do Órion.

Para ambas as chuvas de meteoros são esperados cinco meteoros por hora. Em específico, a chuva Southern chi Orionids proporcionará meteoros que deixam rastros e são muito brilhantes. A velocidade dos meteoros de ambas as chuvas é de 25 km/s, ou seja, meteoros com velocidade lenta.

Para esse ano, em 10 de dezembro, quando ocorre o máximo dessas duas chuvas, não teremos a presença da Lua. Fato que contribui para as observações dos meteoros .

3.3 – 10/12/2020 – 11 Canis Minorids

Resumo: melhor noite de observação ocorrerá em 10 de dezembro, a partir das 22 horas (aproximadamente), com previsão de 5 meteoros por hora e magnitude incerta. A Lua não atrapalha as observações dos meteoros.

No mesmo instante que irão ocorrer as chuvas de meteoros Northern chi Orionids (XOR) e Southern chi Orionids (XOR), também irá ocorrer a chuva 11 Canis Minorids (beta Canis Minoris), localizada na constelação do Cão Menor. Essa constelação, que possui a brilhante estrela de nome Procyon está localizada próxima da constelação de Órion (região das chuvas Northern chi Orionids e Southern chi Orionids). Para a chuva 11 Canis Minorids são previstos cinco meteoros a cada uma hora com meteoros lentos, atingindo uma velocidade de 28 km/s.

Para localizar o Cão Menor no céu, utilize as populares “Três Marias” como referência e as informações sobre a localização da constelação do Órion, presentes nos comentários sobre as chuvas Northern chi Orionids e Southern chi Orionids. Além disso, se precisar, utilize a figura 3 para localizar as “Três Marias” e a estrela Procyon. Será nessa região próxima da estrela Procyon que teremos o radiante da chuva de meteoros 11 Canis Minorids.

3.4 – 11/12/2020 – Sigma Hidrids (HYD)

Informação sucinta: melhor noite de observação ocorrerá em 11 de dezembro, a partir da 1 hora da manhã (aproximadamente), com previsão de 3 meteoros por hora e magnitude de 3.0. A Lua não atrapalha as observações dos meteoros.

Na noite de 11 de dezembro será a vez do máximo da chuva sigma Hidrids, com previsão de 3 meteoros a cada uma hora. Mesmo que essa chuva ocorra na noite seguinte após as três chuvas citadas acima e duas noites antes da chuva Geminids, a probabilidade de termos diversos meteoros oriundos dessas cinco chuvas ao mesmo tempo é grande.

Para poder localizar o radiante da chuva sigma Hidrids na comprida constelação da Hidra, basta saber que a cabeça da Hidra está localizada próxima das constelações de Órion, do Cão Maior e do Unicórnio. Por essa razão, para poder contemplar a chuva de meteoros sigma Hidrids, localizada na constelação da Hidra, vale esperar até 1 hora da manhã para iniciar a observação dos meteoros que irão surgir nessa região do céu, pouco acima do horizonte leste-nordeste. Mas, para quem é mais aficionado vale iniciar a observação após às 21 horas e 30 minutos, para contemplar os meteoros das outras chuvas dessa região.

3.5 – 14/12/2020 – Geminids (GEM)

Resumo: melhor noite de observação ocorrerá em 14 de dezembro, a partir da 1 hora e 30 minutos (aproximadamente), com previsão de 150 meteoros por hora e magnitude de 2.6. A Lua não atrapalha as observações dos meteoros.

Conforme a International Meteor Organization (IMO), nos últimos anos, a taxa horária zenital (THZ) dessa chuva tem se mostrado mais confiável, apresentando uma média de 120 meteoros a cada uma hora, chegando a ocorrência de 150 meteoros por hora.

Durante as duas últimas décadas, todos os meteoros ocorreram entre as coordenadas λ⊙ = 261.5º e 262.4º, das 16h de 13 de dezembro às 14h de 14 de dezembro (Horário de Brasília , desconsiderando o horário de verão). Analisando essas informações da IMO, o melhor momento de observação dessa chuva ocorrerá entre 13 e 14 de dezembro. Como o radiante dessa chuva está localizado próximo da estrela Castor, na constelação de Gêmeos, mais especificamente com α = 7:2 e δ = +33º, a observação poderá ser iniciada, em 13 de dezembro, após às 23 horas. Porém, o mais indicado é observar essa chuva entre 1 hora e 30 minutos e 4 horas, de 14 de dezembro. O que não impede de realizar as observações a partir das 23 horas de 13 de dezembro até o amanhecer de 14 de dezembro. Pois, conforme relatado na IMO, a modelagem teórica realizada por Jérémie Vaubaillon apresentou uma grande densidade de partículas de poeiras que poderiam ser encontradas durante o dia claro de 15 de dezembro, instante na qual, observadores podem estar cientes em ajudar a refinar o trabalho de modelagem desse trabalho. Continua ainda a IMO:

Seja qual for o caso do instante máximo dessa chuva, geralmente a taxa da chuva Geminids persiste por quase um dia.

Para localizar a constelação de Gêmeos, local do radiante dessa chuva será necessário encontrar as brilhantes estrelas Pollux e Castor. Próxima dessas estrelas estará o radiante da Chuva Geminds. A figura 3 ilustra a região dessa chuva que são esperados 150 meteoros por hora, ou seja, uma média de 2,5 meteoros a cada um minuto!

Geminids em 1985: quase 5000 meteoros por hora

Para se ter uma ideia da importância e expectativa da chuva de meteoros Geminids, em 1985, foram observados 4960 meteoros a cada uma hora! Sem dúvida, será um lindo espetáculo no céu.

Vale acompanhar essa belíssima chuva de meteoros, principalmente para quem estiver nas cidades sem poluição luminosa. Para quem estiver nas cidades com poluição luminosa será muito difícil observar algum meteoro por causa do fraco brilho. Mas, para quem gosta de desafios, vale ficar observando essa região do céu por algumas horas.

A figura 3, ilustra os locais que irão ocorrer as chuvas de meteoros Monocerotids (MON), Northern chi Orionids (XOR), Southern chi Orionids (XOR), 11 Canis Minorids, sigma Hydrids (HYD) e Geminids (GEM).

Nessa figura são indicados os nomes das estrelas mais brilhantes dessa região do céu e que podem auxiliar o observador na localização dos radiantes das chuvas de meteoros. Essa região do céu, ilustrada na figura 3, foi concebida para noite de 13 de dezembro de 2020, por volta das 22:30, servindo-se para observação de todas as chuvas descritas no item 3.

Localização de vários radiantes de chuvas de meteoros em 13/12/2020

Live de observação astronômica com o Marcos Calil

Todas as terças feiras, às 21 horas, o professor Marcos Calil entra ao vivo para informar os amantes da Astronomia Observacional sobre quais fenômenos astronômicos observar no céu. Em especial, no programa que está gravado desta última terça feira, 1 de dezembro de 2020, Marcos Calil explica como observar a olho nu algumas dessas chuvas de meteoros descritas aqui, além dos planetas Júpiter, Saturno, Marte e Vênus e o Eclipse Solar que ocorrerá durante o dia de 14 de dezembro.

Assista agora o programa para contemplar os diversos fenômenos astronômicos no céu da sua cidade, se inscreva no canal e siga Marcos Calil no Twitter e no Instagram (@MarcosCalil).

Sobre a Climatempo

Com solidez de 30 anos de mercado e fornecendo assessoria meteorológica de qualidade para os principais segmentos, a Climatempo é sinônimo de inovação. Foi a primeira empresa privada a oferecer análises customizadas para diversos setores do mercado, boletins informativos para meios de comunicação, canal 24 horas nas principais operadoras de TV por assinatura e posicionamento digital consolidado com website e aplicativos, que juntos somam 20 milhões de usuários mensais.

Em 2015, passou a investir ainda mais em tecnologia e inovação com a instalação do LABS Climatempo no Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP). O LABS atua na pesquisa e no desenvolvimento de soluções para tempo severo, energias renováveis (eólica e solar), hidrologia, comercialização e geração de energia, navegação interior, oceanografia e cidades inteligentes. Principal empresa de consultoria meteorológica do país, em 2019 a Climatempo uniu forças com a norueguesa StormGeo, líder global em inteligência meteorológica e soluções para suporte à decisão.

A fusão estratégica dá à Climatempo acesso a novos produtos e sistemas que irão fortalecer ainda mais suas competências e alcance, incluindo soluções focadas nos setores de serviços de energia renovável. O Grupo segue presidido pelo meteorologista Carlos Magno que, com mais de 35 anos de carreira, foi um dos primeiros comunicadores da profissão no país.