Café Mestiço se apresenta em São Carlos

Apresentação em São Carlos

Álbum de estreia do trio formado por Michi Ruzitschka (violão 7 cordas), Ricardo Araújo (guitarra portuguesa)  e Beto Angerosa (percussão) cria conexões ao trazer instrumentos de universos diferentes para estilos tradicionais

A união de instrumentos originalmente de universos diferentes para uma viagem musical poética e inusitada. Assim nasce Café Mestiço, o primeiro álbum do encontro dos músicos  Michi Ruzitschka (violão 7 cordas), Ricardo Araújo (guitarra portuguesa) e Beto Angerosa (percussão). O disco ainda conta com a participação especial do acordeonista Toninho Ferragutti.  O repertório traça uma linha imaginária que parte de Lisboa, passa por Cabo Verde e depois chega ao continente sul americano, apresentando toda sua variedade de ritmos e estilos. Para marcar o lançamento, o grupo fará um espetáculo no SESC São Carlos, no dia 23 de maio.

Nesse trabalho, o trio traz o choro, o chamamé, o tango “Oblivion” de Piazolla e o clássico “La Catedral” do compositor paraguaio Augustín Barrios, com arranjo inspirado no ritmo flamenco Bulería. Também interpreta o que foi o importante encontro de Jacob do Bandolim com guitarrista português Armandinho, uma das maiores referências da música portuguesa. A união do cajon, violão de 7 cordas e da guitarra portuguesa não existe tradicionalmente no choro ou no fado, e assim, o trio inova na linguagem tocando o famoso choro “Eu Quero É Sossego” nessa formação.

Essas misturas resultam num álbum de forte personalidade, sem desconsiderar a execução tradicional de cada estilo, mas mostrando as conexões culturais e musicais intrínsecas ao trabalho do grupo.  O repertório completo do disco é formado por Sodade (Armando Zeferino Soares), Santa Morena (J. do Bandolim),  Luar do Sertão (João Pernambuco),   La Partida (Carlos Bonnet), Vira de Frielas (José Nunes), Variação em Ré Menor (Fontes Rocha), La Sonora (Michi Ruzitschka), Oblivion  (A. Piazolla), Catedral (A. Barrios), Maria Landó (Cesar Calvo/Chabuca Granda), Valsa Bugre (Michi Ruzitschka), Eu Quero É Sossego (K-Ximbinho) e O Touro (Michi Ruzitschka).

 

Para marcar o lançamento do disco, o grupo fará uma turnê de shows e oficinas nas cidades de Itanhaém (28 de abril), EMESP (7 de maio), Auditório Centro Cultural de Ourinhos (8 de maio), SESC São Carlos (23 de maio), Pinacoteca de Santos (26 de maio) e encerrando com espetáculo na Fundação Ema Klabin, em São Paulo (8 de junho). Todas as apresentações e oficinas são gratuitas.

O projeto, que inclui a gravação do cd Café Mestiço e a turnê de seis shows para lançamento, é realizado com o apoio do Governo do Estado de São Paulo, Secretaria de Estado da Cultura – Programa de Ação Cultural – 2018.

SOBRE OS MÚSICOS:

Michi Ruzitschka (violão 7 cordas)

Músico, compositor e produtor nascido na Áustria, graduou-se no Brucknerkonservatorium de Jazz na Áustria e posteriormente na Berklee College of Music em Boston. Mudou-se para o Brasil há 15 anos. Produziu o cd Estado de Poesia ao vivo, de Chico César com o qual ganhou o Prêmio da Música Brasileira (2018) como melhor álbum e integra o Ricardo Herz Trio. O violão de Michi poder ser escutado em mais de 25 CDs, além de lançamentos no Japão e na Coréia do Sul. Em 2018 lançou seu disco solo intitulado SP, que resume suas principais influências musicais vividas na metrópole paulista.

 

Ricardo Araújo (guitarra portuguesa)

Professor e músico profissional, foi o primeiro brasileiro a se apresentar no teatro “Os Trabalhadores de Arte” em Moscou. Apresentou-se também nos grandes palcos da Ucrânia no anos de 2011, 2012, 2013 e 2014, participando com seu trio instrumental no Festival Internacional Balalaika. Gravou o projeto “Cancioneiros da Imigração”, CD que foi lançado em nove países, e participou do filme “Sons de São Paulo” da TV Cultura. Pela mesma emissora gravou o especial de Fernando Pessoa. Em 2010 lançou seu CD solo de guitarra portuguesa. Apresentou-se na Colômbia, Argentina e Uruguay. Seu curso online de guitarra portuguesa é referência mundial no ensino deste instrumento.

Beto Angerosa (percussão)

Músico percussionista e baterista, bacharel em Filosofia pela USP, realiza um trabalho de criação e pesquisa musical, numa perspectiva de grande versatilidade em diferentes estilos da percussão mundial, participando continuamente de gravações e shows por todo o país e no exterior. É especialista em Flamenco e ritmos latino-americanos. Há duas décadas é professor de Percussão Popular e Rítmica na EMESP Tom Jobim tendo também ministrado diversos workshops e cursos.

Para conhecer, acesse: https://www.youtube.com/watch?v=VBbovddToSo

 

SERVIÇO: CAFÉ MESTIÇO – SESC SÃO CARLOS – 23 DE MAIO

 

Show gratuito – Horário: às 20h00

Local: SESC SÃO CARLOS – Av. Comendador Alfredo Maffei, 700 – Jardim São Carlos – São Carlos – Tel.: (16) 3373.2333

Foto de Pipo Gialluisi.