Capitão Nucci explica ação ocorrida no Vale Bar e diz que a PM não é contra a diversão dos jovens em São Carlos

A ação da Polícia Militar em apoio a Prefeitura de São Carlos no sábado de Carnaval no Vale Bar na região do cruzamento da 9 de Julho com a São Sebastião é um assunto que vem sendo debatido pela comunidade.

A reportagem ouviu o Comandante da 1ª Companhia da Polícia Militar, o capitão Paulo Roberto Nucci Jr, que salientou que ainda existem muitos comentários sobre a ação desenvolvida no sábado. “Quem estava na ação era eu, quem usou as munições químicas foi eu, a ordem precisa ser restabelecida, a PM trabalha para isso”, afirmou.

O capitão afirmou que a PM compareceu no local onde ocorria a festa carnavalesca para apoiar a Prefeitura. “O estabelecimento não podia fazer aquilo (a festa), abriram o bar e colocaram uma banda com as caixas de som viradas para a rua, a culpa não é da PM, mas de quem fez o evento, pois a autorização já havia sido negada pela Prefeitura, afirmo mais uma vez: a culpa não foi da PM, mas de quem fez a festa”, disse.

Questionado se a PM conversou com as pessoas que estavam no cruzamento da rua 9 de Julho com a São Sebastião, Nucci informou que houve o aviso. “Foi avisado que era para as pessoas saírem, desobstruir as vias, estavam fechadas a 9 de Julho e a São Sebastião, dois quarteirões cada uma, isso não existe, porque obstruir ruas sem autorização não pode”, ponderou. “Outra coisa, fomos conversar e teve gente que jogou garrafa e pedra nos policiais, como vou deixar uma situação dessa ocorrer? A Polícia Militar precisa ter o respeito e restabelecer a ordem pública”, emendou.

Segundo Nucci, as munições químicas usadas para restabelecer a ordem na região do Vale Bar foram de gás lacrimogêneo. “Elas não são explosivas e não machucam, elas apenas soltam o gás e no caso as pessoas se evadiram, não teve ninguém machucado ou que passou mal, pensamos nisso, jogamos num canto, as pessoas correram, obviamente algumas sentiram o cheiro do gás, pois esse era o objetivo, é uma arma não letal, é melhor fazer isso do que tirar o pessoal com uma carga de cassetetes ou outra ação mais violenta”, justificou.

Nucci informou que depois dessa ação a rua foi aberta e o bar fechado pela Prefeitura. “Não se tem muito a dizer, a ordem precisa ser restabelecida, seja ali, na rua Larga, onde for, a PM chegou e precisa agir, é um evento irregular, isso não existe, daqui a pouco vão fechar a avenida São Carlos e vamos deixar por que é carnaval? Temos que explicar à população que os jovens precisam obedecer as normas, as leis da cidade”, assegurou.

Na opinião do capitão, o proprietário do bar tem responsabilidade grande no que aconteceu. “A partir do momento que se deixa isso acontecer, ele está assumindo o risco, a Prefeitura fez a parte dela de não autorizar e a PM foi lá e restabeleceu a ordem”, disse.

A PM informou que haviam várias pessoas que moram no local que estavam incomodadas. “Elas estavam incomodadas com pessoas nuas na rua, gente quebrando garrafa, alguns invadindo supermercados, as pessoas bebem e perdem a noção, uma outra situação que ocorreu foi que pegamos um indivíduo com uma faca na cintura e que tinha várias passagens pela polícia”, revelou. “O que ele ia fazer lá? Roubar celulares e outros objetos das pessoas, a PM precisou agir e foi feita a ação e a responsabilidade é minha”, prosseguiu.

Nucci explicou que no caso do Vale Bar a via não estava interditada de maneira oficial e que qualquer um poderia passar com o carro e causar uma tragédia com pessoas atropeladas. Ele também informou que a PM não é contra a diversão dos adolescentes. “Concordamos que os jovens precisam de um local para se divertir, mas é preciso ter limites, não obstruir a via, incomodar pessoas e intervir no direito alheio, fora isso somos favoráveis a eventos na cidade como o carnaval e outros, é preciso que se tenha distração para os jovens, inclusive estávamos conversando na Prefeitura que em São Carlos não se tem um espaço para o jovem se divertir, isso será assunto do governo municipal”, finalizou.

Neste link você pode conferir a versão da dona do Vale Bar

Por Renato Chimirri