Caso do cemitério: São Carlos, a cidade que não pode ver uma vergonha que já quer passar…

Situação difícil

A indignação do dia de ontem se deu pelo caso da família que foi obrigada a concluir o sepultamento de uma senhora (avó daquelas pessoas) e podemos chegar à seguinte conclusão: em São Carlos a incompetência da administração pública não permite nem que enterremos nossos entes queridos com a paz espiritual necessária.

Para funcionar corretamente, os cemitérios deveriam receber uma atenção fundamental da Prefeitura. Não dá para deixar um cemitério, pois pessoas falecem todos os dias, sem os funcionários necessários para que os serviços não parem. Jamais, a Prefeitura deveria permitir que uma família termine o sepultamento de uma pessoa porque o outro funcionário que deveria acabar o trabalho estava de folga. Isso é indignante e ultrajante, com que cabeça esses cidadãos acabaram o trabalho? Certamente estavam destruídos fisicamente e espiritualmente, afinal a morte é uma situação que sempre suga a energia de quem fica neste plano.

A nota da Prefeitura disse que a secretaria de Serviços Públicos pedirá a contratação de mais funcionários, mas neste caso barraremos numa entrevista da secretária de Administração, Helena Antunes, que disse que primeiro a máquina precisa otimizar aquilo que tem e depois pensar em contratar. Eu concordo com a secretária, mas parece que neste caso, a falta de funcionários e pulso na gestão são tão evidentes que a Prefeitura não deveria permitir que esse tipo de situação acontecesse. Contudo, ela ocorreu e hoje o município passa mais uma vergonha em nível nacional, afinal de contas não consegue nem promover um sepultamento de maneira tranquila.

Numa cidade administrada com força, essa situação seria motivo de investigação em todas as esferas: legislativa, executiva e até do ponto de vista do Ministério Público, porque os problemas com os cemitérios são-carlenses não começaram ontem e sim há tempos.

Os cemitérios da cidade são sujos, mal cuidados, alvo de vandalismo e de bandidos que os invadem com frequência para violar sepulturas e cometer outros ilícitos e até hoje NENHUM prefeito foi capaz de tomar uma atitude que colocasses esses espaços em ordem.

Muitos defendem a concessão dos cemitérios como forma de solucionar o problema. É um tema que precisa ser muito bem discutido, vejo com reservas esse tipo de caso, porém sei bem que do jeito que está não pode ficar.

Uma família foi violada num momento tão duro como a perda de um ente querido porque o poder público em São Carlos é vacilante e desorganizado. Aliás, a Prefeitura de São Carlos até hoje não conseguiu organizar o município minimente em várias áreas talvez porque os gestores desconheçam a palavra.

Enquanto isso, a falta de organização gera essas cenas lamentáveis como as que vimos no cemitério Santo Antonio de Pádua.

Se eu fosse prefeito de São Carlos não conseguiria dormir à noite sabendo que a cidade que governo não tem a capacidade de concluir um sepultamento com dignidade. São Carlos, aquela cidade que não pode ver uma vergonha que já quer passar….

NOTA CEMITÉRIO

A Secretaria de Serviços Públicos informa que ontem, dia 12 de fevereiro, foram realizados 7 sepultamentos, seis deles no período da tarde, inclusive com sepultamento em Santa Eudóxia, sendo necessário o deslocamento de 2 dos 5 coveiros para o distrito.
Quanto ao ocorrido no cemitério Santo Antônio de Pádua a Secretaria esclarece que o sepultamento foi realizado. O coveiro realizou todas as etapas, inclusive fechando a carneira com a cimentação. O funcionário explicou que precisava realizar outro sepultamento no Cemitério Nossa Senhora do Carmo e que a finalização do túmulo seria realizada com colocação da terra no dia subsequente, porém a família não aceitou, tomando as ferramentas do coveiro e iniciando a colocação da terra.
A Secretaria de Serviços Públicos lamenta o ocorrido e vai solicitar a contração de mais servidores para a função.