Ciclone extratropical se aproxima do Brasil

Entre a sexta-feira (9) e o sábado (10) desta semana, temos uma frente fria que avança para o Sul do Brasil. Juntamente com a frente fria uma área de baixa pressão atmosférica se desenvolve como um ciclone extratropical que vai provocar vento e chuva forte no Rio Grande do Sul no fim de semana.

Entre o sábado (10) e o domingo (11), os modelos meteorológicos estão indicando a intensificação desta área de baixa pressão atmosférica e a formação de um ciclone extratropical.

Por enquanto há divergências entre os modelos meteorológicos quanto ao posicionamento do centro de baixa pressão e consequentemente da área de formação do ciclone extratropical e quanto à intensidade do sistema.

Enquanto o GFS, modelo americano, indica o sistema se formando ao largo da costa sul do Rio Grande do Sul e se deslocando para alto-mar na direção leste a partir de domingo, o modelo europeu (ECMWF) indica o ciclone se formando na região do Estuário da Prata e avançando para alto mar a partir de domingo na direção leste/sudeste.

Além da divergência de posicionamento, há também diferenças na previsão da intensidade do sistema.

O modelo europeu indica uma significativa queda de pressão entre a manhã de sábado e a manhã de domingo, mais de 24hPa em 24 horas, o que classificaria o sistema como um Ciclone Bomba, já o GFS não indica queda de pressão tão significativa.

Apesar das divergências, a formação e atuação do ciclone extratropical na região é quase certa e deve ter consequências sobre o Sul e Sudeste do Brasil, como indicado abaixo.

Chuva forte

Entre o sábado e domingo a atuação da baixa pressão e transição para ciclone deve provocar chuva forte acompanhada de rajadas de vento no Rio Grande do Sul.

Vento intenso

Há previsão de rajadas de vento entre o sábado e domingo no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. Há previsão de rajadas mais intensas no sul e no leste do estado gaúcho e no sul e leste de Santa Catarina. Nestas áreas as rajadas devem ficar entre 80 e 100km/h.

Ainda no domingo o vento aumenta de intensidade também na costa do Sudeste. O leste de São Paulo e o Rio De Janeiro devem ter rajadas moderadas a forte, entre 50 e 70km/h.

Mar agitado

Com o ciclone provocando vento intenso sobre o oceano há previsão de mar agitado no litoral entre o Rio Grande do Sul e o Rio de Janeiro. A Clima tempo vai acompanhar a formação destes sistemas nos próximos dias. A previsão é de que as ondas cheguem ao litoral a partir do dia 12, segunda-feira da semana que vem. É alto o risco de ressaca.

Sobre a Climatempo

Com solidez de 30 anos de mercado e fornecendo assessoria meteorológica de qualidade para segmentos estratégicos, a Climatempo é sinônimo de inovação. Foi a primeira empresa privada a oferecer análises customizadas para diversos setores do mercado, boletins informativos para meios de comunicação, canal 24 horas nas principais operadoras de TV por assinatura e posicionamento digital consolidado com website e aplicativos, que juntos somam 20 milhões de usuários mensais.

Em 2015, investiu na instalação do LABS Climatempo, no Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP), que atua na pesquisa e desenvolvimento de soluções para tempo severo, energias renováveis (eólica e solar), hidrologia, comercialização e geração de energia, navegação interior, oceanografia e cidades inteligentes. Em 2019, a Climatempo passou a fazer parte do grupo norueguês StormGeo, líder global em inteligência meteorológica e soluções para suporte à decisão, e dois anos depois, em 2021, uniu-se à Somar Meteorologia, formando a maior companhia do setor na América do Sul. A fusão das duas empresas impulsiona a Climatempo a ser protagonista global de fornecimento de dados e soluções para os setores produtivos do Brasil e demais países da América Latina, com capacidade de oferecer informações precisas de forma mais ágil e robusta.

O Grupo Climatempo segue presidido pelo meteorologista Carlos Magno que, com mais de 35 anos de carreira, foi um dos primeiros comunicadores da profissão no país.