Com a crise de COVID-19, Tio Emerson Vergara monta banca de hortifrúti na Santa Felícia

A banquinha do Tio Emerson e velha companheira ao fundo

Todo mundo conhece o Emerson Vergara como um dos motoristas que realizam o transporte escolar em São Carlos e um dos líderes da sua categoria. Como todos os profissionais dessa atividade, Emerson foi diretamente atingido pela crise da COVID-19 que suspendeu as aulas e, por consequência, o trabalho dos condutores foi prejudicado.

Como é pai de família e precisa continuar exercendo atividade, Emerson montou uma banca na avenida João de Guzzi onde está vendendo produtos hortifrúti. A banca do Tio Emerson fica na pista no sentido do bairro para o Centro. Emerson está localizado entre a UPA da Santa Felícia e o Tonin.

De acordo com que o profissional contou ao São Carlos em Rede, ele está sem exercer a atividade de transporte de alunos desde o dia 20 de março. “Digo que fomos uma das primeiras profissões a parar e talvez sejamos uma das últimas à voltar”, diz.

Como todo o brasileiro, o profissional explicou que sua situação começou a ficar complicada pois as contas chegam. “Temos amigos que tem prestações altas de veículos do transporte escolar em bancos e ficam com essa conversa de que banco está ajudando, isso é uma mentira é um ou outro só que prorroga alguma coisa, o resto não quer saber, quer apenas receber, se ficar dois ou três meses sem pagar o veículo é executado e perde o meio de trabalho”, afirma.

Segundo ele, o mês de maio foi difícil, a família não conseguiu fechar as contas, por isso ele dialogou com a esposa sobre o que seria possível fazer para tentar melhorar a situação. “Você fica naquela, paga as contas, compra as coisas para comer, mas minha esposa me apoiou tive essa ideia de montar uma banquinha para pode levar o alimento para a família”, contou.

Emerson Vergara disse que as profissões que estão paradas, como o transporte escolar e outras que sofrem com a pandemia, precisam do apoio da sociedade, pois os profissionais estão passando por um momento de grande dificuldade. “Todos estão com dificuldades, eu tenho 20 anos fazendo o transporte de crianças, atividade que eu amo, não são 20 dias, é uma vida dedicada à essa atividade, porém a pandemia de COVID-19 veio para tirar o chão de todo mundo”, ponderou.

Ele salientou que tem contado com os amigos, com o apoio dos clientes, dos pais de alunos que passam na banca de hortifrúti e levam produtos fresquinhos para a sua casa. “Se Deus quiser tudo vai passar, precisamos ter fé, se todos fizerem certinho passará mais rápido”, acredita.

A rotina do novo trabalho de Emerson começa por volta das 8h30 e só para às 18h, além do bom papo, ele também oferece um saboroso café para os clientes e assim vai levando a vida. “Não é só comprar, mas é vir aqui bater um papo, saber como as pessoas estão, ficar parado aqui é desgastante, mas quando tem gente, vamos conversando, a hora vai passando e assim além de ajudar nossa família, conseguimos levar o dia com mais alegria”, destacou.

Emerson está pertinho do famoso garapeiro dessa região, e ele explicou que há parceria entre as partes e assim, diante de toda a dificuldade, eles vão levando os dias e aguardando a retomada das atividades.

Por Renato Chimirri

 

Fotos: Maurício Duch