Com medo da dengue, são-carlenses compram repelentes em supermercados e farmácias

O mosquito transmissor da dengue está passeando pela cidade

Os pernilongos, especialmente aquele capaz de transmitir a dengue, o Aedes Aegypti, está passeando por São Carlos. Por isso, as pessoas tem usado as armas que tem contra o mosquito. Além de limpar a casa e evitar a água parada, muitos são-carlenses estão procurando repelentes em supermercados e farmácias com o objetivo de se proteger contra doenças como a dengue. As mortes causadas em Araraquara, cidade próxima de São Carlos, deixaram algumas pessoas em estado de alerta.

A dona de casa Sandra Vorena explicou que tem comprado repelentes sistematicamente para passar no corpo dos filhos e no seu também. “Tenho comprado sempre e estamos passando para evitar problemas, é claro que mantemos a casa limpa, sem água acumulada porque não podemos deixar o mosquito da dengue se criar, porém o repelente tem sido fundamental porque os pernilongos parecem que estão sempre visitando nossa casa”, diz.

Há opções na linha OFF! por R$ 31,90 (de longa duração, até 10 horas) e também em frascos menores com 4h de duração por R$ 13,98 e R$ 33,90 (embalagem maior). A linha família, embalagem grande sai por sai por R$ 19,98 e um frasco de repelente de longa duração, mas não em aerossol e sim em spray sai pelo preço de R$ 43,90.

Segundo o portal Tua Saúde, os repelentes tópicos, que são os repelentes para aplicar na pele, podem ser sintéticos ou naturais e atuam formando uma camada de vapor na pele, com um odor que repele os insetos, como os repelentes que possuem DEET, icaridina, IR3535 o óleos essenciais de ervas em sua composição.

Números

Em 2022 já foram registradas em São Carlos 268 notificações, com 65 casos positivos de Dengue, sendo 57 autóctones e 8 importados. Para Chikungunya foram registradas 3 notificações, com 3 casos descartados. Para Febre Amarela foi registrada 1 notificação (aguardando resultado do exame). Para Zika nenhuma notificação foi registrada até agora.

Em 2021 foram registradas 670 notificações, com 136 casos positivos para a Dengue, sendo 102 autóctones e 34 importados. Para Chikungunya foram registradas 30 notificações, com 30 resultados negativos para a doença. Para Febre Amarela foi registrada 1 notificação, com 1 caso descartado. Para Zika foram registradas 12 notificações, com 12 casos descartados.

Já em 2020 foram registradas 1.638 notificações para Dengue com 640 casos positivos, 582 autóctones, 58 importados e 1 óbito confirmado. Para Febre Amarela foram registradas 6 notificações, com 6 resultados negativos para a doença. Para Zika foram registradas 7 notificações com 7 resultados negativos. Para Chikungunya não foi registrada nenhuma notificação.