Conheça a história do Padre milagreiro de São Carlos

Padre Teixeira: fama de milagreiro

Fonte: Fundação Pró-Memória 

São Carlos tem uma rua chamada “Padre Teixeira”, que passa por alguns pontos de destaque na cidade, como a E.E. Dr. Álvaro Guião e o Grêmio Recreativo Flor de Maio. Mas, quem foi o Padre Teixeira?

Nascido no Estado do Paraná, em Lapa, no dia 04 de marco de 1883, José Teixeira da Silva estudou no Seminário Diocesano de Curitiba, onde se ordenou em 1906 e atuou como secretário do bispo da região, antes de se mudar para o Estado de São Paulo.
Anos mais tarde, foi designado vigário de Taquaritinga/SP e chegou em São Carlos no ano de 1915, para ocupar a vaga de cura da Catedral.

Em São Carlos, o Pe Teixeira ajudou significativamente na reforma do prédio da Catedral, em 1918, além de ter dado assistência aos atingidos pela epidemia de Gripe Espanhola, ocorrida no mesmo ano.

Porém, Padre Teixeira ficou doente no começo de junho de 1919, falecendo de gripe pneumônica em 14 de junho, com apenas 35 anos de idade.

O jornal “O Correio de São Carlos” escreveu um dia após sua morte: “Conquanto fosse esperada [sua morte], em virtude do melindroso estado de sua saúde e não obstante o adiantado da hora, a notícia tristíssima do seu infausto desenlace correu célere, e encheu a alma sancarlense da mais funda e cruel impressão de dor”.

A fama do padre como milagreiro se iniciou logo após sua morte e até hoje é comum ouvir relatos de gracas alcançadas com a interseção dele. Mais tarde, entre 1971 e 1995, Dom Constantino Amstalden, Bispo Coadjutor e Bispo de São Carlos iniciou o processo de santificação do Padre Teixeira junto a Santa Sé. Até hoje, devotos do Padre Teixeira visitam seu túmulo no cemitério Nossa Senhora do Carmo, para fazerem orações e pedidos.

Imagem: Padre Teixeira, s.d. Acervo DPD-FPMSC.