Convocação de Airton para falar na CP é discutida entre os vereadores

A aprovação por 18 a 3 da admissão da Comissão Processante (CP) contra o prefeito Airton Garcia é o assunto que domina o cenário político em São Carlos. Chamar o prefeito para depor na CP também é outro fator que agora entra em pauta por parte dos vereadores. A investigação foi autorizada pelo plenário da Câmara na tarde de ontem, 26.

A CP que é composta por Gustavo Pozzi (Presidente), Paraná Filho (Relator) e Djalma Nery (Membro) tem até cinco dias para notificar o prefeito sobre o assunto. Já o prefeito Airton Garcia terá pelo menos dez dias para apresentar uma defesa à Câmara Municipal.

Depois desse período, a comissão tem mais cinco dias para decidir se arquiva ou prossegue com a investigação. Por se tratar de CP, o prefeito Airton Garcia poderá ser convocado a depor no caso. A comissão tem pelo menos 90 dias para apresentar seu relatório arquivando ou determinando penalidades ao prefeito que pode culminar até com a cassação do prefeito.

Irregularidades

O objetivo da Comissão Processante aprovada ontem, 26, na Câmara Municipal é investigar supostas irregularidades que teriam sido cometidas pelo governo municipal no que diz respeito ao aluguel de um terreno na rua Regit Arab, no Cidade Aracy, onde funcionava uma entulheira.

Segundo consta, o contrato teria se encerrado em 2013 porém em 2017 teria ocorrido um aditivo, o que seria irregular. O caso é motivo de ação movida pelo Ministério Público do Estado de SP.

Silêncio

A Prefeitura foi procurada para comentar o caso, porém alegou que como não houve a notificação oficial, o governo não deverá se manifestar neste momento.