Coronavírus: o que gestantes e lactantes precisam saber?

Todos se ajudando

Por se tratar de um vírus novo, ainda são muitas as dúvidas sobre o COVID-19, doença que tem afetado diversos países do mundo e que resultou em uma pandemia. As estatísticas mostram que essa é uma enfermidade que atinge mais os idosos, diabéticos, hipertensos, quem têm insuficiência renal crônica, doença respiratória crônica e doença cardiovascular.

A relação do coronavírus no organismo das mulheres grávidas, por exemplo, também se tornou uma preocupação, visto que as mulheres no período de gestação, naturalmente apresentam alterações na imunidade.

Segundo a Dra. Marisa Afonso Andrade Brunherotti, docente do curso de Mestrado e Doutorado em Promoção da Saúde da Universidade de Franca (Unifran). “A gestação é um estado fisiológico que pode predispor a infecções respiratórias e virais, devido às mudanças no sistema imunológico e cardiopulmonar. Segundo o estudo recente da Universidade de Hong Kong não há evidências científicas que mulheres grávidas são mais suscetíveis ao vírus, desta forma a prevenção é a mesma que a população em geral, como o isolamento social e a higienização”, explica.

Outra questão apontada pela docente do curso de Medicina da Unifran, professora Dra. Elisabete Lilian Dair, é em relação as mães gestantes que contraem o vírus. “Os dados sobre o impacto para o feto em mães que apresentam o vírus são limitados. Até o presente momento, é incerto se há risco de transmissão intrauterina da mãe para o feto, mas tudo indica que a infecção materna no último trimestre de gestação não apresenta nenhum risco fetal”. Além disso, destaca a Dra. Elisabete Dair, que segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a mãe que tenha contraído o vírus pode amamentar normalmente, devido ao fato que até o momento não há elementos que comprovem que o leite materno possa disseminar o novo coronavírus.

A professora Dra. Marisa argumenta ainda, que para as mães lactantes, os cuidados seguem os mesmos e em casos suspeitos, orienta-se o uso de máscara cirúrgica durante todo o cuidado com o recém-nascido e a amamentação. A especialista relata, “A higienização deve ser redobrada, além de restringir visitas. Vale ressaltar, que neste período há também outros vírus, como a influenza, circulando no nosso meio”, aponta.

É importante que todas as gestantes e lactantes somente utilizem medicamentos que foram orientados pelo profissional da saúde de sua confiança. Além disso, que todas as gestantes recebam a vacina da gripe na campanha de vacinação contra a gripe Influenza”, completa a professora Dra. Elisabete. 

###

Sobre a UNIFRAN – Com 50 anos de tradição em ensino superior no interior de São Paulo, a UNIFRAN recebe em seus 253 mil metros quadrados mais de 50 mil alunos, entre cursos de graduação, presenciais e a distância, especializações, mestrados e doutorados, que abrangem todas as áreas do conhecimento. A Universidade, considerada a melhor instituição particular do Brasil, segundo o Latin America University Rankings 2019, da revista inglesa Times Higher Education (THE), integra o grupo Cruzeiro do Sul Educacional, um dos mais representativos do País, que reúne instituições academicamente relevantes e marcas reconhecidas em seus respectivos mercados, como Universidade Cruzeiro do Sul e Universidade Cidade de São Paulo – Unicid (São Paulo/SP), Universidade de Franca – Unifran (Franca/SP), Centro Universitário do Distrito Federal – UDF (Brasília/DF, Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio – Ceunsp (Itu e Salto/SP), Faculdade São Sebastião – FASS (São Sebastião/SP), Centro Universitário Módulo (Caraguatatuba/SP), Faculdade Cesuca (Cachoeirinha/RS), Centro Universitário da Serra Gaúcha – FSG (Bento Gonçalves e Caxias do Sul/RS), Centro Universitário de João Pessoa – Unipê (João Pessoa/PB), Centro Universitário Braz Cubas (Mogi das Cruzes/SP) e Universidade Positivo (Curitiba e Londrina /PR), além de colégios de educação básica e ensino técnico. Visite: www.unifran.edu.br

Foto: Pixabay