COVID-19: “Janeiro pode ser triste em São Carlos”, alerta enfermeira da linha de frente

Medo da COVID-19

Uma enfermeira da linha de frente de combate ao COVID-19 conversou com a reportagem do São Carlos em Rede e contou que os profissionais dessa área estão exaustos. Sob anonimato, para não prejudicar o local onde trabalha e nem seus companheiros, ela contou que a rotina tem sido devastadora. “A rotina durante essa pandemia é devastadora, convivemos com o medo diário, e um trabalho de cuidar das pessoas, que é a nossa vocação, que precisa ser feito e o fazemos, mas somos humanos também”, disse.

Ela revelou que colegas que lutam ombro a ombro contra a COVID-19 em São Carlos foram contaminados pela doença. “Muitos dos meus colegas foram contaminados pelo vírus e sofreram com a doença, ela não dá sossego, cansa a pessoa, você tem uma noite longa, dores pelo corpo, respiração curta e incerteza do que pode acontecer amanhã”, diz.

Com tantas pessoas contaminadas, a profissional explicou que o serviço sempre aumenta para quem teve a sorte não contrair o vírus. “Isso faz com que os demais que não pegaram a doença tenham que trabalhar ainda mais, é uma luta diária, mas parece que estamos enxugando o chão com a torneira aberta, ou seja, não há um fim próximo, apenas problemas e mais problemas”, ressaltou.

A enfermeira explicou que há entre os profissionais da saúde um medo justificado pela alta taxa de transmissão do vírus devido à proximidade das festas de final de ano. As reuniões entre pessoas, segundo ela, poderão ser um gatilho devastador no que diz respeito a COVID-19. “Se continuar assim, com pessoas que não ligam, metendo o louco, janeiro será triste em São Carlos, pode anotar aí, teremos um mês extremamente complicado”, ressalta.

De acordo com a profissional, todos que trabalham na área da saúde sabem das complicações que a COVID-19 pode nos causar. “A vacina vai ajudar, mas não será tão rápido assim, por isso a prevenção ainda é fundamental, não saiam sem necessidade e nem façam reuniões desnecessárias”, aponta.

Dados

Até ontem, 16, São Carlos contabilizava 5.141 casos positivos para COVID-19 (53 resultados positivos foram divulgados ontem), com 67 óbitos confirmados e 98 descartados.

Um óbito foi descartado ontem, quarta-feira (16/12). Trata-se de um homem de 51 anos, internado desde 14/12, com resultado negativo para COVID -19.

Dos 5.141 casos positivos, 4.779 pessoas apresentaram síndrome gripal e não foram internadas, 4 óbitos sem internação, 358 pessoas precisaram de internação devido a COVID-19, 279 receberam alta hospitalar e 63 positivos internados foram a óbito. 4.829 pessoas já se recuperaram totalmente da doença. 18.538 casos suspeitos já foram descartados para o novo coronavírus (150 resultados negativos foram divulgados ontem).

Estão internadas neste momento 39 pessoas, sendo 16 adultos na enfermaria (9 positivos, 2 suspeitos e 5 negativos). Na UTI adulto estão internadas 21 pessoas (17 positivos, 2 suspeitos e 2 negativos). Na enfermaria 2 crianças estão internadas, 1 com resultado negativo para COVID-19 e uma com suspeita da doença. Na UTI pediátrica nenhuma criança está internada no momento. TREZE pacientes de outros municípios estão internados em São Carlos. A taxa de ocupação dos leitos especiais para COVID-19 de UTI/SUS está hoje em 53,6% (15 pessoas estão internadas em leitos de UTI/SUS, sendo 7 de outros municípios). Na enfermaria/SUS estão internadas 12 pessoas. Na rede particular 4 pessoas estão internadas na enfermaria e 6 na UTI.

Imagem de Darko Stojanovic por Pixabay