COVID-19: Julho, um mês decisivo para o ego do são-carlense

Use máscara

Diversos especialistas tem alertado para o aumento da curva de contaminação no interior de SP pela COVID-19 que se deu (ou se dá) justamente entre junho e julho (Araras, Santa Gertrudes, Rio Claro, Leme, Porto Ferreira e Ribeirão Preto, que, tem ameaça de lockdown, estão com comércio fechado), enquanto o próprio governo estadual diz que na região da capital há sinais de queda nos números, São Carlos, na região central do Estado, não está fora deste contexto. Hoje são 541 casos confirmados, 13 mortes e atualmente 35 internados, sendo quatro confirmados em UTI. No dia 1 de junho, a cidade tinha 157 casos confirmados, o que comprova o aumento na testagem, mas também o crescimento exponencial da curva, isso sem falar nos casos subnotificados que são muitos, em função de que nem toda a população foi testada.

De lá para cá, foram mais 384 casos e outras 8 mortes (tínhamos 5 e agora são 13) e inúmeros especialistas acreditam que com a reabertura mesmo que controlada os casos irão aumentar, ou seja, continua valendo o mantra: só saia se for realmente necessário, não leve ninguém a mais e também use máscaras, bem como lave suas mãos várias vezes e use álcool em gel, não aglomere, não visite parentes, não faça churrasquinho, festinhas ou participe de pancadões, pois isso tudo pode implicar na cidade simplesmente regredir para a Fase Vermelha do Plano SP, com muita gente internada, UTIs lotadas e mais desemprego e falência de pequenas empresas sobretudo no setor de serviços.

O que mais tem espantado este velho repórter é a burrice de algumas pessoas que passam o dia todo na internet e nas ruas pregando contra o uso de máscara atrás de um livre arbítrio mortal, pois sem a máscara se você estiver contaminado, pode passar a doença para outra pessoa, porém usando o equipamento de proteção a chance de uma transmissão por gotículas cai para quase 10%, ou seja, essa proteção é fundamental no momento e muitas pessoas por uma vaidade torpe ou pretensões políticas desonestas tem feito campanhas contra a proteção.

O são-carlense precisa se dar conta que a epidemia só acabará realmente com a vacina e que isso ainda tem um chão de pelo menos mais seis meses de luta contra o vírus mortal que no Brasil está prestes a romper a barreira dos 60 mil mortos e que já tem mais de milhão de infectados.

A tarefa é inglória, julho é decisivo para as pretensões são-carlenses de no dia 10 avançar para a Fase Amarela e voltar com a abertura de novos serviços, mas para isso a máscara e as proteções sanitárias são fundamentais.

Se a pessoa que está ao seu lado reluta no uso do equipamento mantenha uma distância gigante da mesma, porque essa se importa apenas com o próprio ego.

Renato Chimirri

Imagem de leo2014 por Pixabay