COVID-19: O alerta para São Carlos vem das cidades da região

Mercado Municipal em São Carlos

O fechamento do comércio em Rio Claro, Santa Gertrudes e Araras cidades que são próximas de São Carlos evidenciam um fato básico: entremos em alerta, pois a situação na região é preocupante. Araraquara tem quase 800 casos de COVID-19. Na Morada do Sol foram notificados, até o momento, 10 óbitos decorrentes de Coronavírus e um caso suspeito. Trata-se de um homem com 67 anos, com comorbidades, que faleceu na última segunda-feira. O caso espera resultado de exame. Rio Claro tem os leitos para a doença ocupados e Araras que viu o casos disparar decretou fechamento de atividades como forma de prevenção. Diante do quadro podemos dizer que isso tudo evidencia apenas o que as autoridades médicas estão destacando: o momento para reabertura no interior é complicado, pois o pico da doença chegou nessa região. Para piorar, o Estado de SP, que é bem verdade aumentou a testagem, registrou hoje quase dez mil novos casos, um recorde, ou seja, estamos cercados por todos os lados.

A situação de São Carlos não é confortável, é preocupante, somente ontem o município contabilizou 418 casos positivos para a doença (42 resultados positivos foram liberados ontem) desde o início da pandemia, com 11 mortes confirmadas e uma suspeita. Se mais casos forem confirmados hoje chegaremos perto de 500? Do jeito que vemos a curva crescer é bem provável que sim e isso implica em qual estágio?

Implica nas pessoas redobrarem seus cuidados, não é hora para jogo de futebol em campo de várzea, aula de tênis, festinha na casa da mãe, da sogra, visitar parentes, fazer churrasquinho com amigos, ir em missa, culto ou trabalho em seu terreiro ou qualquer outra atividade de fé que reúna pessoas, o momento é de se rezar em casa. Daí, pode vir aquele inteligentão e soltar a pérola: “Ahhhh, mas pode ir no mercado e na farmácia ou no posto de gasolina, né? Por que não pode sair na rua?”

É simples a resposta: porque estes locais oferecem serviços essenciais, você não consegue ficar sem comida, você não pode ficar sem remédio ou combustível, mas você precisa se precaver nestes locais, fazer distância, limpar as mãos com frequência, bem como entrar e sair mais rápido que imediatamente para evitar contato e um possível contágio. Ah, outra coisa, se for ao comércio que está aberto neste momento, vá sozinho, use máscaras e faça o que precisa rapidamente, os casos estão aumentando e não queremos ver as UTIs cada vez mais lotadas.

Não acredite em qualquer mensagem que você recebeu nas redes sociais, sem antes consultar uma fonte confiável, hoje a desinformação é gigantesca e muitas pessoas estão negando uma doença que mata e destrói a economia. Já deu para imaginar o que poderia estar acontecendo se tivéssemos feito o lockdown de maneira correta? Poderíamos estar reabrindo coisas com segurança e não da maneira atabalhoada que os governos estão fazendo. Se não baixarmos a transmissão profissionais como donos de academia e salões de beleza vão sofrer muito, pois suas atividades demorarão ainda mais para retornar, não é possível que as pessoas não entendam essa relação, mas vamos explicar de novo: quanto mais casos e mortes aparecendo, maiores serão as restrições sociais, sem cortar que a cadeia de transmissão da pandemia demorará ainda mais à desaparecer.

O prefeito de Rio Claro, Juninho da Padaria, foi claro na live que fez para anunciar o fechamento da cidade. Ele disse que quando tudo reabriu no fim de maio o Centro de Rio Claro parecia receber movimento de final de ano, pois o número de pessoas era gigantesco. Deu no que deu, não é? Agora a cidade volta para um lockdown necessário. Se o são-carlense não olhar ao seu redor e ver os exemplos que estão em sua cara, podemos enveredar por um caminho ainda mais perigoso que o atual. É hora de consciência e não de prepotência.

Renato Chimirri