COVID-19: O recado foi dado nesta manhã de domingo

Uso correto de máscaras é importante/Pixabay

Os casos de Coronavírus em São Carlos cresceram em torno de 3,79% em São Carlos nos últimos cinco dias, saltaram de 3856 para 4008 e somente ontem vimos a Prefeitura anunciar mais dois óbitos pela doença de pessoas com idade na casa dos 60 anos, hoje são 56 vítimas fatais. Somente ontem, morreram: um homem de 62 anos internado desde 13/11, em um hospital público de São Carlos, e uma mulher de 61 anos, internada na rede privada desde 09/11 também com resultado positivo para COVID -19.

A doença não parou. Ela está bem ativa e não sumiu por causa de eleição, se isso fosse verdade, como gostam de apregoar gente com pouca massa encefálica, não teríamos mais óbitos em cidades vizinhas ou no resto do país, o fato é que São Carlos passou um tempo sem mortes, o que aumentou a teoria conspiratória entre pessoas que pouco pensam e não entendem a gravidade do momento que vivemos.

Hoje, a irmã do prefeito Airton Garcia, Amariluz Garcia, chamou a atenção nas redes sociais ao compartilhar uma notícia do jornal baiano Correio com o pedido de colaboração para a população do Secretário da Saúde de Salvador, Léo Prates. Ele anunciou mais 30 leitos de UTI e disse que se o povo não ajudar o comércio pode fechar na capital de todos os baianos.

Amariluz não insinuou nada, mas veladamente, em nossa análise foi clara ao pedir que o povo em São Carlos preste atenção e ajude a Prefeitura no que diz respeito ao Coronavírus, a batalha ainda não terminou e só vai acabar com a vacina sendo colocada à disposição da população, o que deve ocorrer no Estado de SP em meados de janeiro, mesmo assim, até que todos sejam imunizados será fundamental que mantenhamos as precauções para que no meio do ano possamos voltar para uma vida normal.

Os comerciantes em São Carlos estão todos preocupados com as notícias de que internações e casos tem aumentado no Brasil e especialmente no capital paulista. A imprensa trouxe essa semana notícias de crescimento de internações em hospitais particulares da classe A e B, justamente as mesmas pessoas que espalharam a primeira onda de COVID-19 entre os mais pobres por aqui.

Portanto, assiste razão que o comércio se mantenha apreensivo e peça a colaboração das pessoas, sobretudo no uso de máscara, pois ela é fundamental para que os casos de COVID-19 não cresçam exponencialmente e o que temos notado é que muita gente equivocamente anda pelo comércio central sem máscara e só a coloca, porque é obrigado, ao entrar em um estabelecimento. Muitos ainda andam com a máscara no pescoço e com o nariz exposto e param, por exemplo, na praça do Mercado para aglomerar sem necessidade.

Vi também um exemplo essa semana de desrespeito onde o povo não tem culpa de nada. Na Caixa Econômica Federal pessoas esperaram por duas horas para serem atendidas, embaixo de um sol escaldante, uma vergonha e o banco não está nem aí para isso. Em meio à pandemia, essas instituições tem que se coçar e arrumar um jeito de atender as pessoas sem que elas precisem sofrer tanto, certo? Afinal, filas também são fatores preponderantes de propagação do vírus.

O dia D para São Carlos e demais cidades do Estado de SP será em 30 de novembro quando o governador João Doria anuncia a reclassificação do Estado que foi adiada recentemente. Esse anúncio será decisivo para o destino das compras de Natal de 2020, por isso é primordial que as pessoas saiam para o necessário, não levem para a rua quem não precisa e muito menos aglomere onde não há necessidade. Infelizmente, meus amigos, ainda não acabou, teremos alguns meses para lutar contra o vírus.

Com o advento da vacina, certamente, poderemos brindar um 2021 com felicidade, mesmo que o réveillon seja atrasado, o que importará será a comemoração.

Renato Chimirri