COVID: Prefeitura apresenta fotos e vídeos de comércios irregulares e cobra respeito às normas do Plano SP

Reunião na Prefeitura


O coordenador do Comitê Emergencial de Combate ao Coronavírus, Mateus de Aquino, juntamente com o secretário de Segurança Pública, Samir Gardini e o comandante da Guarda Municipal, Michael Yabuki, se reuniu na última segunda-feira (08/03), com o presidente  da Associação Comercial e Industrial de São Carlos (ACISC), José Fernando Domingues (Zelão) e com Paulo Roberto Gullo, presidente do Sindicato do Comércio Varejista (Sincomercio) para tratar de alguns abusos ocorridos no setor durante o fim de semana.

O Comitê apresentou aos representantes do comércio algumas fotos e vídeos recebidos através de e-mail e redes sociais da Prefeitura de vários locais funcionando, e, portanto, transgredindo as regras do Plano São Paulo de combate à COVID-19, pois na Fase Vermelha não se permite os atendimentos presenciais em estabelecimentos não-essenciais, além de aglomerações nas portas de lojas.

O secretário de Segurança Pública, Samir Gardini, disse que o Plano São Paulo, na Fase Vermelha, não permite o atendimento presencial em comércios que não são essenciais. “Precisamos de mais cuidado, pois nossa região tem quase 100% de ocupação de leitos de UTI há vários dias, por isso os comerciantes necessitam tomar maiores precauções”, observou.

Mateus de Aquino, coordenador do Comitê Emergencial de Combate ao Coronavírus reforçou o pedido de cuidado. “Gostaria de enfatizar aos representantes do comércio que reforcem junto à categoria o respeito à Fase Vermelha do Plano SP, senão poderemos ter medidas mais restritivas, até via Poder Judiciário, bem como não conseguiremos conter a disseminação do vírus”, ponderou.

 “Sempre buscamos o equilíbrio entre a saúde e a manutenção da economia de nossas empresas, mas agora concordamos que realmente é necessário aumentar as restrições para a diminuição da disseminação do coronavírus. Agora é hora do comércio não essencial de São Carlos atender as restrições, se limitando a fazer somente delivery e drive thru, o que é permitido. Cada empresário do comércio deve continuar a fazer a sua parte, como temos feito desde o início. Não abram meia-porta nos seus estabelecimentos, não atendam internamente, não criem nenhuma situação que possa criar filas e não se exponham a multas, punições e conflitos”, afirmou Paulo Gullo.

O presidente da ACISC, José Fernando Domingues, o Zelão, reforça que para avançarmos na escala do Plano São Paulo, retomando a flexibilização, todos precisam colaborar e seguir corretamente as recomendações das vendas por drive thru e delivery. Voltar à situação de fechamento de comércio é preocupante para todos nós e por isso precisamos unir esforços”.

A ACISC também está trabalhando na divulgação e orientação aos comerciantes e aos consumidores de como realizarem as vendas online e de como os consumidores podem fazer as suas compras em segurança.