COVID: Psicóloga relata exaustão e incredulidade com são-carlenses negacionistas

Raquel é psicóloga

Raquel Parrelli é psicóloga e diretora da clínica Estância Terapêutica em São Carlos. Ela que tem tomado os cuidados necessários para preservar sua família e as pessoas com quem convive durante a pandemia de COVID-19 está incrédula com tudo o que tem visto na cidade.

Em um relato forte, Raquel explicou como vem se portando durante este tempo duríssimo pelo qual a sociedade está passando. “Moro com meus pais idosos, há meses precisei sair de casa para morar sozinha em um quarto de hotel a fim de proteger minha família, minha  equipe e meus pacientes. Há um ano não abraço minha família e não entro dentro de minha casa. Meus únicos contatos são meus pacientes e minha equipe”, ressalta.

A profissional contou que está vendo suas forças se esvaírem diante do quadro caótico pelo qual passamos.  “Estou no limite da exaustão e não pude conter minha indignação vendo tantas pessoas morrerem, não só idosos, mas jovens também; Comerciantes indo à falência, famílias passando necessidades”, disse.

Ela relatou que vivemos um período surreal e que há um misto de tristeza e profunda indignação em seu coração. “Um sentimento grande de indignação e tristeza vem me visitando, mesmo diante de todo o cenário ainda tenho que ‘engolir rasgado’ pessoas, em milhares, que para nada renunciam; Continuam vivendo como se nada estivesse acontecendo, alienados de nossa realidade”, destaca.

Raquel foi direto ao ponto: “Não conseguem sequer renunciar a uma festinha aqui, uma saidinha ali, uma viagem acolá…pelo amor de Deus! Se isso não é loucura, o que mais poderia ser? Para onde foi morar a sanidade? Acordem, mesmo que seja tarde, acordem…antes que o tarde demais faça com que nós ou nossos semelhantes acabem indo embora para nunca mais voltar!”