Demissão de cargos, saída de Secretário: qual o próximo capítulo da guerra entre Câmara e Prefeitura?

Paço Municipal é a sede da Prefeitura

O auge da crise entre Câmara e Prefeitura de São Carlos se deu ontem, 26, com a aprovação da Comissão Processante contra o prefeito Airton Garcia. A CP vai investigar atos relacionados ao caso da Entulheira do Aracy, fato que também é alvo de ação do Ministério Público contra a Prefeitura.

A temperatura política ferveu e todos estão se perguntando: qual o próximo passo da crise política que assola a cidade?

A informação que circulava no dia de ontem pelas bastidores dizia que os vereadores que tem pessoas indicadas em cargos de confiança na Prefeitura poderão ver suas indicações serem demitidas. Essa é uma retaliação esperada por todos, mas convenhamos, seria pouco inteligente neste momento por parte de quem articula na Prefeitura.

Se demitirem pessoas, como tem acontecido freneticamente neste governo, os articuladores não pensarão no futuro, pois um relatório que recomende a cassação do mandato de Airton Garcia poderia ser derrubado apenas com oito votos contrários à peça, ou seja, ir para o confronto com os vereadores seria de uma burrice astronômica.

O que Prefeitura precisa fazer é saber articular, conversar e não tentar conseguir as coisas via fórceps, isso já foi provado pelo resultado de ontem em plenário que não vai funcionar.

Um outro boato que circulou por aí diz respeito ao Secretário de Governo, Edson Fermiano. Depois da derrota na Câmara se falava que Fermiano poderia deixar o posto e ir cuidar de sua vida. Falam até que ele teria ficado abalado com a derrota acachapante de ontem.

Entretanto, se o Paço Municipal perde-lo será pior ainda. Porque Fermiano tem respeito por parte dos vereadores e seria um homem capaz de reconstruir um relacionamento com a Câmara ou com alguns vereadores, relacionamento esse que foi demolido por diversos elefantes que estão nas cristaleiras do governo municipal.

Na política as pessoas precisam entender que é fundamental se jogar com inteligência e sangue frio e que nem sempre “peitar” é a melhor saída.

A derrota de ontem na Câmara deve ensinar aos comandantes do Paço Municipal que política dever ser feita por políticos.

Renato Chimirri