Dengue: São Carlos chega a 3806 notificações

Segundo a Prefeitura, 88 agentes de endemias realizam trabalho de prevenção nos bairros de São Carlos

A Vigilância Epidemiológica de São Carlos confirmou nesta sexta-feira (10/5) que os 56 novos Agentes de Combate às Endemias já estão na rotina de trabalho no controle do Aedes aegypti, transmissor de arboviroses urbanas.

Entre efetivos e temporários são 92 agentes, porém 88 estão em campo, coordenados por 4 supervisores, divididos em 4 equipes. A equipe 1 é composta por 22 agentes, da equipe 2 outros 20 agentes fazem parte, a equipe 3 também tem 22 agentes e a equipe 4 conta com 26 pessoas.

Os novos agentes foram contratados temporariamente após a realização de um processo seletivo realizado pela Secretaria de Gestão de Pessoas. Todos passaram por treinamento com profissionais da Vigilância Epidemiológica antes de iniciar o serviço de campo. Durante o treinamento os agentes aprenderam conceitos de epidemiologia, todos os sintomas das arboviroses, tipos de controle dos vetores da Dengue, tipos de tratamento, rotina de trabalho no controle da Dengue, criadouros e depósitos, notificação, identificação, diagnóstico e tratamento.

Segundo a chefe da Seção de Apoio à Vigilância em Saúde e Informação da Secretaria Municipal de Saúde, Denise Scatolini, essa semana as equipes trabalharam no Jockey Clube, Residenciais Américo Alves Margarido e Sabará, no Centreville, Jardim Gonzaga e no Madre Cabrine. “Com esse reforço conseguimos fazer mais imóveis, ampliando a área de atuação. Os agentes são atores importantes para a obtenção de resultados positivos”.

São Carlos tem até o momento 3.806 notificações com 438 casos positivos de Dengue, sendo 360 autóctones e 78 importados. De Chikungunya são 35 notificações, 12 negativas, 23 ainda aguardando resultado. Zika foram 36 notificações, com 5 resultados negativos e 31 aguardando resultado. De Febre Amarela 2 notificações, com 2 resultados negativos.

O número de notificações é referente aos pacientes com suspeita da doença atendidos tanto na rede pública, como nos planos de saúde e rede particular.

Cuidados diários – A população deve ficar atenta para cuidados simples como: remover a água dos pratos das plantas, remover ou colocar os pneus em locais cobertos, limpar o quintal removendo materiais que possam acumular água, limpar as calhas do telhado, lavar diariamente vasilhas dos animais de estimação, tratar a água das piscinas e permitir a entrada dos agentes de combate à endemias nas residências quando há necessidade de bloqueio.

A Vigilância Epidemiológica alerta, também, que a maior incidência de larvas está dentro das residências, especificamente nos pratos dos vasos de plantas, por isso a importância de receber bem os agentes e seguir as orientações repassadas por eles. “É preciso colaborar com as ações da Prefeitura. Combater os focos do mosquito Aedes aegypit é a única maneira de prevenir a transmissão da Dengue, Zika e Chikungunya”, ressalta Denise Scatoline.

A Secretaria Municipal de Saúde orienta para que as pessoas com qualquer sintoma de alguma das doenças (Dengue, Chikungunya ou Zika), como febre alta, associada à dor de cabeça, prostração, dores musculares, nas juntas, atrás dos olhos, vermelhidão no corpo e coceira, procurem inicialmente as unidades básicas ou de saúde da família mais próxima da sua residência.