Descubra qual é seu tipo de olheira e aprenda a tratar em casa

Olheira sanguínea: é diferente da vascular. É mais genética. A olheira sanguínea é acometida por um pigmento que faz parte do nosso sangue, chamado de hemossiderina, que é ligado à vários componentes e que quando passa nos capilares, que são os vasos menores, vai depositando um pouquinho desse pigmento. A hemossiderina é ligada ao ferro e quando entra em contato com o sol, ela oxida, escurecendo mais a região. Esse tipo de olheira pode agravar quando a pessoa possui alergia e coça os olhos freneticamente com as mãos.

As áreas escuras ao redor dos olhos causam muito incômodo entre mulheres e homens. Algumas são fundas, azuladas, outras amarronzadas e até mesmo avermelhadas. A busca por tratamento as vezes é em vão, pois o diagnóstico é feito errado. Poucas pessoas sabem, mas existem 5 tipos de olheiras. Descubra qual é o seu:

Olheira estrutural: ocorre devido à falta de tecido na região orbicular dos olhos. Normalmente por falta de camada adiposa, ácido hialurônico ou até mesmo o próprio formato anatômico do rosto que ocasiona um aspecto fundo.

Olheira vascular: acontece quando o fluxo de líquido é mais lento embaixo dos olhos, e também devido ao cansaço, ao estresse, ao uso de tabagismo e bebida alcóolica. Pode agravar quando a pessoa desencadeia rinite.

Olheira sanguínea: é diferente da vascular. É mais genética. A olheira sanguínea é acometida por um pigmento que faz parte do nosso sangue, chamado de hemossiderina, que é ligado à vários componentes e que quando passa nos capilares, que são os vasos menores, vai depositando um pouquinho desse pigmento. A hemossiderina é ligada ao ferro e quando entra em contato com o sol, ela oxida, escurecendo mais a região. Esse tipo de olheira pode agravar quando a pessoa possui alergia e coça os olhos freneticamente com as mãos.

Olheira pigmentar: pode ser acometida devido ao acesso de exposição ao sol e a alteração hormonal.

Olheira mista: como o próprio nome diz, pode ser a mistura de todas as outras. A maioria das pessoas sofrem com este tipo de olheira.

Para quem procura um método rápido e fácil de combater este mal, a dermaticista Patrícia Elias explica como preparar uma receita caseira para ajudar no tratamento. Confira:

Para olheira vascular, pigmentar e mista:

Corte em 2cm um pepino sem casca e pique bem fininho. Misture dentro de um recipiente com 50ml de chá de camomila em temperatura ambiente. Leve à geladeira por 3 horas.

Após higienizar o rosto, molhe dois algodões na receita e coloque sobre os olhos por 10 minutos. Após o procedimento, passe a hirudoid na área das olheiras. A pomada serve como uma drenagem linfática, aumentando a circulação na região.

Faça esse procedimento duas vezes ao dia: de manhã quando acordar e a noite antes de dormir. O produto pode ser usado por mais 3 dias e deve ser guardado na geladeira.

Olheira sanguínea:

Após utilizar a mesma receita do chá de camomila e pepino, aplique ácido tioglicólico.

O ácido tioglicólico é usado apenas durante a noite, em baixa concentração, e apenas uma – no máximo duas – vezes por semana. É necessário procurar um especialista na área para orientar melhor o uso para no tratamento. Durante o dia passe bastante protetor solar.

Olheira estrutural:

Procure um profissional para fazer a aplicação do ácido hialurônico, ou até mesmo um médico que possa aplicar sua própria gordura na região.