Dois anos de governo Airton Garcia: É coisa boa?

Dois anos de mandato do atual prefeito

São dois anos de governo Airton Garcia e o que se pode dizer até o momento? Bom, em primeiro lugar talvez o maior acerto dessa gestão seja na área financeira, foi Airton quem retirou São Carlos da inadimplência junto ao Governo Federal através de um belo trabalho do secretário de Fazenda, Mario Antunes, e permitiu que o município voltasse a receber recursos que necessitavam deste carimbo de bom pagador que a gestão anterior não conseguiu. Airton também investiu em terminar algumas obras como postos de saúde e escolas expandindo a rede da cidade, porém isso ainda é muito pouco para uma população que precisa de mais.

Foi neste governo que São Carlos teve problemas com carne na merenda escolar, bem como convive diuturnamente com a reclamação de que falta água no Grande Aracy, assim como em diversos pontos do Santa Felícia. Aqui, fica a pergunta: onde está a solução e as explicações para essa questão do desabastecimento? Sobre a merenda, é inadmissível que uma cidade que já teve prêmios por distribuir uma das melhores merendas do Brasil enfrente falta de carne, isso é um atestado de que o trabalho nessa área não é bom. Com relação a falta de água, acho que o SAAE deveria passar um “pente-fino” em suas instalações nestes locais e colocar às claras para a imprensa quais as obras que precisam ser feitas para por fim a este tormento. O povo não aguenta mais, o trabalhador e a trabalhadora chegam em casa e não tem água na torneira e depois ainda precisam pagar a conta no final do mês.

Mais um ponto desabonador: a política de resíduos sólidos e meio-ambiente. Desconheço ações efetivas nessa seara. Não vi nada, apenas conversa e nenhuma ação prática, os ecopontos continuam explodindo, a cidade não consegue crescer em termos de arborização e não vemos um plano efetivo para a questão. Apenas muita falação e pouca efetividade, enquanto isso o meio-ambiente padece e uma solução para a situação parece anos-luz distante da realidade.

Aliás, aqui convém dedicar um capítulo para a zeladoria. São Carlos nunca esteve tão suja, mal cuidada, cheia de lixo, com ruas esburacadas, iluminação precária e falta de competência para tocar esse serviço nessa área.

A Prefeitura demorou dois anos para promover a contratação de uma empresa para limpar as ruas, parques e outros logradouros. Isso mesmo! Dois anos! O prefeito ficou com aquela conversa mole que usaria reeducandos da penitenciária de Itirapina e foram registrados problemas, o serviço era mal feito e a situação de sujeira que foi herdada do governo Altomani se perpetuou ainda mais. Recentemente, a empresa Terra Plana começou a trabalhar, porém o serviço demorará e muito para aparecer. Essa área pode ser chamada de sucessão de erros e é a que mais sangra politicamente o atual prefeito, pois São Carlos não é nem sombra da cidade organizada e limpa que já foi e os que comandam a cidade nem disso sabem, pois fizeram os Jogos Abertos do Interior por aqui e levaram um campeão mundial como Diego Hipólyto para competir num ginásio que ficava ao lado de um matagal gigantesco. Falta o chamado desconfiômetro.

A saúde. Sim, a área da saúde, as UPAS foram fechadas, acabaram reabertas, isso foi um alento, demorou, mas o prefeito conseguiu. O secretário Marcos Palermo tem se esforçado, mas esta é uma área que não dá apenas para colocar a culpa nos ombros do município, a crise é geral e precisaria ser resolvida da forma mais simples possível que é com recursos e ampliando atendimento, mas parece que os governos estadual e federal não estão muito preocupados com essa situação. A crise persistirá.

Um ponto positivo do governo Airton Garcia foi a área da segurança. A secretaria foi criada, a Guarda Municipal tem feito um trabalho razoável e agora a cidade precisa avançar nessa situação, já que temos pontos nevrálgicos para resolver e problemas que precisam de inteligência e pessoal treinado para agir. Samir Gardini, como secretário, enfrentará um trabalho difícil.

Talvez o maior problema do governo Airton Garcia foi a falta de uma pasta que planejasse o desenvolvimento de São Carlos e coordenasse ações. O secretário Roberto Paulo Ignatios fez um trabalho ruim, o planejamento e gestão não funcionou e as coisas caminharam em diversos setores do governo de maneira solta. É preciso lembrar que para uma Prefeitura funcionar as áreas afins precisam falar a mesma a língua e em muitos momentos o governo Airton Garcia parecia uma Torre de Babel, cada um proferindo um idioma.

Airton tem mais dois anos, seu foco parece ser recuperar o máximo de ruas que apresentam estado periclitante em São Carlos. Isso é um acerto, porém ele não pode se resumir apenas a isso. As ruas devem ser prioridade, mas São Carlos precisa de muito mais.

Ele tem que resolver problemas de trânsito, parar de pintar faixas de pedestres em ruas esburacadas, revitalizar o Centro e encontrar uma solução adequada para o transporte público. Só assim, a cidade começa a ganhar um mínimo norte. Sem isso, serão mais dois anos “batendo a cabeça” e o slogan “coisa boa” pode mudar para “outra coisa”….

Renato Chimirri