E quem era a Dona Julia?

O Café Dona Júlia marcou uma época

Raquel Auxiliadora

Durante esse final de semana li as reportagens sobre o fechamento, depois de 40 anos do Café Dona Júlia. Em especial, li as sempre lindas e poéticas palavras do amigo Renato Chimirri.

Fiquei sonhando durante os relatos com as cenas tão importantes, curiosas e engraçadas que aconteceram naquele café. Sentir o quanto foi importante aquele espaço como gostaria de ter vivido algumas daquelas cenas.

Contudo algo me veio à mente durante esses sonhos, que eu enquanto mulher nunca me senti bem naquele espaço, nunca senti que era um espaço em que as mulheres poderiam ficar. Todas as vez que entrei no Café Dona Júlia senti olhares estranhos, olhares que diziam: “Você é mulher, você não deve estar aqui”

Sempre convivi em lugares masculinos. Sou filha de um engenheiro civil, que sempre me levava para visitar obras, no meio dos pedreiros, seus cigarros e piadas machistas. Sempre gostei de frequentar botecos e lugares simples, mas o café Dona Júlia foi o único lugar que eu senti que não era para mim.

Durante o final de semana, a pauta no grupo da família, foi o fechamento do Café Dona Julia, assim como nas reportagens, ouvimos relatos e tantas outras histórias, mas foi o único lugar que eu ouvi a história da Dona Júlia.

Segundo o meu sogro: “mulher alta, sempre de avental e lenço branco na cabeça. Tinha sempre na mão um enorme bule de alumínio, muito bem ariado e o coador de Pano”. Ele teve o prazer de conhecê-la e conviver com esta lenda sãocarlense, quando o café era na esquina oposta da que era hoje, o antigo Bar São Paulo.

Gostaria de conhecer a mulher que deu nome a esse importante local de São Carlos e que não foi lembrada em nenhuma das crônicas. Gostaria de conhecer mais sobre a sua história.

Espero que as memórias do Café Dona Júlia, nunca se percam, que sejam passadas de geração à geração, mas que sobretudo que possamos criar outros cafés em nossa cidade, onde as mulheres possam ser protagonistas não apenas no nome, mas também na política, nos acontecimentos importantes da cidade e que a gente possa ter outras lembranças da nossa cidade, lembranças mais inclusivas para todos e todas.

Raquel Auxiliadora é vereadora pelo PT na Câmara Municipal de São Carlos