Em plena pandemia, munícipe alerta sobre procedimento usado para recapeamento das ruas

Recape: munícipe pede atenção na limpeza antes do asfalto novo chegar

Um são-carlense fez um alerta na manhã desta terça, 11, sobre os procedimentos de recapeamento usados pela empresa contratada pela Prefeitura para a operação. Segundo ele, a companhia usa um caminhão “com ar comprimido de alta pressão que simplesmente assopra a rua levando toda sujeira para dentro das residências e estabelecimentos comerciais por onde passam, hoje logo pela manhã fui surpreendido por uma densa nuvem de poeira, terra, folhas secas e sujeira que invadiram o estabelecimento comercial onde trabalho sem nenhum aviso prévio”.

O trabalhador afirmou que neste momento sofreu bastante: “Na mesma hora atacou minhas vias aéreas, estou com nariz todo irritado e espirrando, espero que não tenha sido infectado por negligencia de terceiros, estou seguindo rigorosamente as recomendações de isolamento social e higiene pessoal e hoje me deparo com uma situação desta”.

Ele cobrou responsabilidade das pessoas que coordenam o trabalho. “Pois estão simplesmente assoprando toda sujeira das ruas que pode certamente estar contaminada levando (sujeira) para dentro da residência das pessoas, deixo aqui minha NOTA DE REPÚDIO quanto a este procedimento absurdo em plena pandemia, em países sérios as ruas estão sendo lavadas com produtos químicos para serem desinfetadas em São Carlos a Prefeitura Municipal de São Carlos permite um procedimento absurdo deste”, criticou.

O munícipe encerra dizendo que é preciso rever o método para que nada mais grave aconteça. Ele que está na região central afirmou que o local tem muitos idosos e que “soprar terra, pedra e toda sujeira da rua com jato de ar comprimido para dentro dos lares das pessoas poderá custar um preço alto para quem está em sua casa tentando se proteger”.