Emoção marca a alta de Daniela Recco e Roberto Scatolin da ala COVID da Santa Casa

Daniela Reco, a filha Larissa e a equipe de profissionais de saúde da ALA COVID da Santa Casa – Foto: Assessoria Santa Casa

A semana começou cheia de esperança na Santa Casa de São Carlos. Dois pacientes internados em função da COVID-19, que estiveram entre a vida e a morte, receberam alta na terça-feira (24/08).

Daniela Aparecida Recco é de Ibaté e foi internada no dia 24 de julho. Depois de 1 mês, retornou para casa. E como o dia era de festa, não podiam faltar os presentes. Larissa, filha da Daniela, fez questão de trazer lembranças para todos: uma caixinha com uma mensagem e um bombom, uma maneira simples de demonstrar todo o agradecimento e atenção dispensados cà mãe. “Os profissionais de saúde da Santa Casa deram tudo que podiam e o que não podiam para salvar a vida da minha mãe. Saber que podia perder minha mãe, e saber que ela está saindo vitoriosa, não tenho palavras para agradecer”, conta, emocionada, Larissa Aparecida Saturnino.

Presentes entregues por Larissa Saturnino em agradecimento à Santa Casa

A alta do comerciante, Roberto Scatolin, é outra história de superação. Ele foi internado na UTI COVID da Santa Casa no dia 12 de julho, em estado gravíssimo. Mas com o trabalho da equipe de profissionais de saúde, conseguiu superar a doença e também recebeu alta na terça-feira (24/08).

“A gente tem a sensação de uma segunda chance mesmo. Todos os profissionais da Santa Casa fizeram de tudo, o possível, e o impossível, e conseguiram me ressuscitar. Hoje meu sentimento é de muita alegria, muita alegria mesmo”, afirma.

O comerciante, que é de Brotas, ressaltou a qualidade do atendimento que recebeu. “Todos os profissionais entram no quarto, dão bom dia, com um profissionalismo muito avançado. Fazem exame de sangue a cada 12 horas, para comparar dados de um dia para o outro, tudo com o apoio de muita tecnologia. O que posso falar é que o atendimento da Santa Casa de São Carlos é de primeiro mundo”, comenta.

A esposa do comerciante, a servidora pública Tania Scatolin, também elogia o serviço oferecido pela Santa Casa.  “O atendimento no hospital é nota 11, não é nem 10. Tenho uma gratidão porque não é só o profissionalismo excelente, são pessoas que lidam com pessoas, e da melhor maneira possível. Tratam com muita empatia, com muito carinho, disposição, o que torna o doente e o familiar, muito acolhidos, e o paciente melhora com certeza”, ressalta.

Comerciante Roberto Scatolin teve alta da ala COVID