Enchentes, adesão baixa ao isolamento social e o resultado: danos à saúde, ao emprego e ao comércio

Portas fechadas: dura realidade

A pandemia de COVID-19 faz estragos em todo o planeta na saúde e na economia. Em São Carlos, o quadro não é diferente, basta observar neste vídeo feito por Nelsinho Pereira a quantidade de prédios que eram lojas em São Carlos e hoje estão fechados. Todos estamos numa sinuca de bico, pois se nada fosse realizado o inimigo oculto e mortal que é o vírus apareceria e poderia levar muitas vidas, porém há também a questão econômica que foi muito prejudicada.

O fato é que se a quarentena tivesse sido respeitada com o rigor necessário pela população, os serviços já teriam sido retomados há um bom tempo, porém com índices baixos de isolamento, a tendência já era clara: um prolongamento no processo de distanciamento que culmina com diversos estabelecimentos de portas fechadas e portanto mais pessoas desempregadas.

Vale lembrar também que os comerciantes de São Carlos foram devastados, sobretudo os que tem loja na Baixada do Mercado, pois duas grandes enchentes simplesmente derrubaram o faturamento das empresas, destruíram mercadorias e colocaram os comércios, isso antes da pandemia, numa situação econômica muito difícil. Neste momento, comércios já baixaram as portas e pessoas foram demitidas e a situação só piorou.

O advento da pandemia de Coronavírus foi mais um fator, talvez o maior deles, que levou o comércio de São Carlos a entrar numa rota de queda tão acentuada que demoraremos pelo menos uns dois anos para atingir o patamar anterior, antes da COVID-19. Convém recordar que este nível anterior ao coronavírus não era dos melhores, portanto estamos num momento especialmente complicado.

Sem um programa governamental sério de retomada, as empresas pequenas não se reerguerão tão cedo.