Equipe de Terapia Ocupacional do HU-UFSCar desenvolve atividades de lazer junto aos pacientes durante a internação

Brinquedo de material reciclado do kit infantil (Foto: HU-UFSCar)

Foram elaborados kits adultos e infantis distribuídos entre pacientes e acompanhantes

 

A equipe de Terapia Ocupacional do Hospital Universitário da Universidade Federal de São Carlos (HU-UFSCar/Ebserh) elaborou atividades específicas de lazer para pacientes internados e seus acompanhantes. A proposta está sendo implementada tanto na área reservada para casos de Covid-19 como da internação por outras doenças.

Para o terapeuta ocupacional e idealizador do projeto, Daniel Ferreira Dahdah, as atividades de distração, diversão e lazer são comumente utilizadas no dia a dia, mas durante a internação, acabam ficando em segundo plano. “Isso pode gerar uma sobrecarga emocional no paciente porque todos os seus pensamentos estão concentrados no processo de adoecimento e imersos na rotina hospitalar, que é mais rígida e cheia de procedimentos muitas vezes desconhecidos e dolorosos. É necessário, então, estabelecer um equilíbrio a fim de evitar que o paciente sofra mais na vivência da hospitalização. Ainda mais neste contexto atual de pandemia, que se faz necessário o distanciamento das pessoas queridas”, afirma Dahdah.

Mariana Ortelani de Toledo Martins, também terapeuta ocupacional do HU, destaca que “essas atividades são importantes para auxiliar os pacientes no enfrentamento dos desafios impostos pelo isolamento durante a sua estadia no Hospital”.

Os kits são compostos por materiais de escritório e propostas de passatempos. A foto da equipe de Terapia Ocupacional foi impressa na capa na tentativa de aproximar os profissionais dos pacientes. “Essa tentativa é importante, uma vez que o uso dos vários equipamentos de proteção individual acaba prejudicando o contato face a face, tão necessário para criar uma relação de confiança e de segurança com os pacientes”, explica Dahdah.

Além disso, para as crianças, foram confeccionados brinquedos com material reciclado que são descartados após a internação, para evitar a contaminação e transmissão de vírus. Os brinquedos são distribuídos de acordo com a idade do paciente. Para as mães de bebês de 0 a 1 ano também são oferecidas orientações sobre o desenvolvimento psicomotor e formas de estimular a criança durante a internação.