Estado estuda fase mais restritiva que a Vermelha do Plano SP

Gabbardo falou de novas restrições

O médico João Gabbardo, coordenador-executivo do Centro de Contingência do Controle do Coronavírus do Governo do Estado de SP, confirmou nesta sexta, 26, que há um estudo para que se crie uma faixa restritiva ainda mais dura que a Fase Vermelha do Plano SP onde somente os serviços essenciais podem funcionar. Vale lembrar que são considerados serviços essenciais os de alimentação, abastecimento, saúde, bancos, limpeza, segurança e comunicação social, entendimento adotado com base no decreto federal nº 10.282, de 20 de março de 2020. O texto garante as atividades industriais e agrícolas necessárias ao país. “Há uma avaliação do Centro de Contingência e se for necessário, recomendaremos essa implantação”, disse.

O governador João Doria explicou que em SP medidas não são precipitadas, mas sim avaliadas e implantadas de acordo com o entendimento dos profissionais do Centro de Contingência.

Fases

A região de São Carlos e Araraquara permaneceu na Fase Vermelha do Plano SP de combate à pandemia de COVID-19, o anúncio foi dado pelo Governo do Estado. Por isso, comércio não essencial permanecerá fechado no município, podendo funcionar apenas os serviços essenciais como mercados, padarias, açougues, postos de combustíveis e congêneres. Bares somente por delivery.

Ribeirão Preto foi uma região que regrediu e voltou para a Fase Vermelha e agora também está fechada juntamente com Marília, Bauru, Presidente Prudente e Barretos.

Ficarão na Fase Laranja, inclusive com regressões, as regiões de Rio Preto, Franca, Rio Pardo, Sorocaba e Registro. A Grande SP e Campinas também ficarão na Fase Laranja.

Estão na Fase Amarela, mais flexível para os serviços, estão Piracicaba, Araçatuba e Baixada Santista.