Filhos buscam ajuda para construir moradia para pai que está doente

Filhos procuram ajudar o pai

O senhor José Carlos Gaudencio precisa de ajuda e a sua família busca apoio da comunidade para lhe dar condições de viver com o mínimo de tranquilidade. Segundo sua filha, Luana Cristina de Oliveira Gaudencio, o pai sempre foi independente. “Ele tem 58 anos, sempre foi independente, fazia tudo sozinho:  supermercado, farmácia, enfim tudo! Morava sozinho na casa do fundo da sua irmã, toda semana jogava bola, gostava muito de sair com os amigos, trabalhava num condomínio e adorava o serviço, porém há uns 2 anos descobriu que tem diabetes por causa de uma ferida que não cicatrizava”, contou.

Foi então que os problemas começaram. “Com isso, ele passou a fazer tratamentos, tomar insulina, antibióticos para cicatrizar a ferida na perna e nos dedos do pé. Perdeu um pouco da visão,  uma vez por mês vai até Araraquara para um tratamento na retina. Teve que mudar alimentação, enfim, se cuidar mais. Curava as feridas, mas vez ou outra aparecia de novo, tratava e curava. No começo de novembro devido às fortes chuvas, sua casa inundou,  ele estava com uma ferida no dedão e no peito do pé, e por conta da água suja infeccionou todo pé, e ele não foi de imediato ao hospital, pois achou que tomando os remédios e fazendo o curativo como sempre fez antes, curaria”, contou.

Luana contou que seu irmão o levou para a Unidade de Pronto-Atendimento, mas ele pegou uma forte gripe depois de chuva e ficou fraco. “Depois de horas na UPA, foi encaminhado à Santa Casa, e quando recebeu atendimento o médico de plantão disse que iria fazer alguns exames, e talvez tivesse que amputar o dedo. Internou, e no dia seguinte o médico cirurgião vascular o consultou e disse que a infecção estava bem grande, estava na canela, teria que amputar toda perna, ele desesperado não aceitou de imediato,  pois achava que tomando antibiótico bem forte resolveria. No dia seguinte, a infecção subiu mais, e realmente teria que amputar a perna, ou iria morrer, pois nada combatia a infecção”, relatou.

Luta

A luta do José Carlos ficou ainda mais difícil como conta a filha: “Ele passou por psicóloga,  recebeu todo nosso apoio, e com muita dor no coração e desespero aceitou a cirurgia. Amputou a altura do joelho. Desde então, tem sido uma luta, pois 3 dias após a cirurgia, ele precisou ir para o centro cirúrgico novamente, pois estava com muito sangramento. Precisou abrir os pontos e  cauterizar. Ficou mais 2 dias internado e viemos embora. Onze dias após sairmos da Santa Casa, ele andando no andador,  desequilibrou e caiu  abriu os pontos, fomos para Santa Casa e ficou mais 3 dias internado. Passaram-se mais 2 semanas ele caiu da cama, corremos para o hospital, pois novamente abriu todos os pontos, mais 3 dias internado. Porém,  como a casa  dele está quase desabando por conta das chuvas, é uma casa bem velha, não podemos deixa-lo neste local e o trouxemos para nossa casa. Ele e minha mãe são separados há muitos anos, ela é casada há 15 anos com meu padrasto, mas ela nos permitiu trazê-lo para nossa casa até sua recuperação. Só que agora precisamos de ajuda para levantar 2 cômodos para ele voltar para sua casa, pois a dele está sem condições de habitação”, conta.

Por isso, a família está procurando a colaboração da comunidade: “Estamos pedindo ajuda para conseguir, pois estou desempregada, no momento não tenho condições financeiras de ajudá-lo. Qualquer ajuda é muito bem-vinda, seja materiais (as vezes alguém pode ter algo que não usou de uma construção ou coisa assim) ou dinheiro (já conseguimos uma doação de telhas). Quem puder nos ajudar, seja de qualquer forma, seremos eternamente gratos”.

Aqui a conta para quem quiser ajudar:

Agência: 0001

Conta: 91433945-2

Luana Cristina de Oliveira Gaudencio

Nu Pagamentos S.A

AQUI A VAKINHA: CLIQUE AQUI!