Força-tarefa conclui identificação e liberação dos 41 corpos das vítimas da tragédia de Taguaí

Acidente grave no interior de SP

Polícias Técnico-Científica e Civil destacaram cerca de 50 agentes para garantir celeridade ao processo; PM preservou local do acidente e reforçou segurança da população que buscava informações sobre vítimas

O Governo de São Paulo concluiu no início da madrugada desta quinta-feira (26) os trabalhos da força-tarefa para a identificação e liberação dos corpos das 41 vítimas fatais do acidente ocorrido na manhã de ontem (25) na Rodovia Alfredo de Oliveira Carvalho (SP-249), em Taguaí.

Além dos policiais militares e bombeiros que, desde as primeiras horas da manhã, atuaram no resgate das vítimas e na preservação do local do acidente, cerca de 50 profissionais das polícias Civil e Técnico-Científica participaram das atividades da força-tarefa tanto na região de Taguaí quanto na capital paulista.

Uma equipe com 21 policiais técnico-científicos, composta por médicos legistas, auxiliares de necropsia e atendentes de necrotério, foi destacada para atuar na região de Avaré. A SPTC ainda reforçou as unidades do IML de Botucatu e Itapetininga.

O Instituto de Identificação Ricardo Gumbleton Daunt (IIRGD), da Polícia Civil, enviou uma equipe com nove profissionais especializados em datiloscopia para auxiliar no trabalho de identificação. Outros 10 policiais permaneceram na sede do instituto, na capital, para garantir celeridade no processo de legitimação e liberação dos corpos aos familiares.

A Polícia Militar também reforçou o policiamento no entorno das unidades do IML para garantir a segurança da população que buscava informações sobre as vítimas do acidente. As investigações sobre a colisão estão a cargo da Delegacia de Taguaí, que vai instaurar inquérito policial para apurar os fatos. Ao todo, 41 corpos foram devidamente identificados e liberados aos seus familiares.