Greve dos trabalhadores do transporte acaba, mas passageiros ainda terão dificuldades em São Carlos

Fim da greve

Fotos: Jean Guilherme/São Carlos Alerta 

Uma assembleia realizada na tarde desta quarta, 21, determinou o fim da greve dos trabalhadores da Suzantur, hoje sob intervenção da Prefeitura Municipal. “É o fim da greve, os trabalhadores conquistaram uma grande vitória nessa proposta, quero agradecer a todos os trabalhadores e pedir desculpas para a população, mas temos que defender o interesse da categoria”, disse Amador Bandeira, advogado e representante do sindicato em São Carlos.

Amador Bandeira deu uma alfinetada nos vereadores e também fez um agradecimento. “Embora exista alguns vereadores que tentem levar nosso trabalho para outro lado, queria agradecer à Câmara Municipal na figura do presidente da Casa que não mediu esforços para resolver o problema, foi resolvido e a empresa já está com R$ 850 mil na conta para fazer a manutenção nos ônibus e até uma locação, agora daqui por diante será com a gestão da empresa”, salientou.

Segundo Amador Bandeira, faltam pelo menos 40 ônibus na frota que deveria ser de 104 veículos. “Hoje ela tem 84, mas pelo menos 30 ônibus estão ´pendurados´ aí dentro”, observou. “Com dinheiro na mão o gestor tem que colocar esses ônibus para andar e até fazer uma locação para o transporte em São Carlos fluir bem”, emendou.

Nesta quinta, Amador ainda não sabe quantos ônibus irão para a rua. “Os mecânicos ficaram trabalhando esses dias, não sei se conseguiram colocar em ordem alguns ônibus”, disse.

Contudo, Amador Bandeira ponderou que amanhã ainda teremos problemas no transporte em São Carlos e que em sua avaliação esses problemas vem há tempos, desde a Suzantur. “Com a intervenção se agravou, até que não saia uma nova licitação para resolver esse caso de vez, pois os ônibus que estão aqui não são suficientes para fazer o transporte de uma cidade que tem bairros distantes e com muitas pessoas, mesmo que se loquem mais ônibus, acredito que a dificuldade ainda continue”, acredita.

Reunião no Paço

Antes de comparecer na garagem para fazer a assembleia com os trabalhadores, Amador Bandeira esteve na Prefeitura onde se reuniu com o secretário de Fazenda, Mario Antunes. Segundo Bandeira, a Prefeitura apresentou o comprovante de um depósito na conta dos trabalhadores referentes às verbas rescisórias. A multa de 50% do FGTS tem as guias prontas com data de vencimento para 22 de fevereiro. Bandeira explicou que o secretário de Fazenda, Mario Antunes, se comprometeu a fazer o recolhimento nesta quinta e assim o sindicato poderia fazer as homologações. “Mais isso depende de uma assembleia de trabalhadores aprovar”, disse.

Bandeira afirmou que sobre o atraso nas rescisões gera mais uma multa à Prefeitura, porém o sindicalista explicou que a administração mandou a entidade “procurar a justiça”. Sendo assim, o sindicato ingressará com uma ação coletiva para receber esse dinheiro, caso a multa realmente não seja paga. “No momento da rescisão o sindicato irá observar se as verbas foram depositadas corretamente, se isso não ocorreu também fica garantido ao trabalhador buscar isso na justiça, seja com o sindicato ou com um advogado particular”, afirmou.

Por enquanto, o que ainda precisa ser resolvida é a questão dos dois dias de paralisação. “Não vamos abrir mão desses dois dias, queremos que eles sejam indenizados, porque não foram os trabalhadores que deram causa para essa paralisação, se ela fosse para discutir salário, numa greve de 10 dias, tenho experiência e posso afirmar que num julgamento no tribunal a sentença manda pagar 50% e descontar o mesmo percentual dos trabalhadores, existem várias formas de acordo”, destacou.

Contudo, Bandeira disse que em São Carlos a reinvindicação era básica: receber as verbas rescisórias no dia correto. “Essa greve foi realizada porque não cumpriram com o acordo coletivo, nem com a legislação, no décimo dia após vencer o aviso prévio as verbas precisam ser pagas”, ponderou.

Sobre a segurança dos ônibus, pois existiam inúmeras reclamações de trabalhadores e também de usuários de que os veículos não oferecem condições para trafegar, Bandeira informou que o Antunes lhe confirmou que passou R$ 850 mil para a conta da empresa com o objetivo de fazer a manutenção dos veículos. “Ele disse que sobrou mais dinheiro e que assim que o interventor for solicitando o dinheiro será repassado”, alegou.

Antunes

O secretário de Fazenda, Mario Antunes, explicou que desde sexta-feira 126 pessoas receberam suas rescisões e que o processo foi concluído nesta segunda, 21. Sobre a multa que Bandeira alegou não ter sido paga, Antunes salientou que sua secretaria trabalha a medida que o interventor Richard Wagner Jorge faz suas solicitações, portanto esse assunto deve ser esclarecido com o mesmo. Ele também confirmou que o FGTS será pago nesta quinta, 22. “O vale começa a ser pago amanhã e será concluído na sexta”, disse.