Hoje é o dia do amigo

Trecho de “O Pequeno Príncipe”

A raposa calou-se e observou por muito tempo o príncipe:

__ Por favor… cativa-me! -disse ela.

__ Eu até gostaria -disse o principezinho -, mas não tenho muito tempo. Tenho amigos a descobrir e muitas coisas a conhecer.

__ A gente só conhece bem as coisas que cativou -disse a raposa. __ Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo já pronto nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se tu queres um amigo, cativa-me!

__ O que é preciso fazer? -perguntou o pequeno príncipe.

__ É preciso ser paciente -respondeu a raposa. __ Tu te sentarás primeiro um pouco longe de mim, assim, na relva. E te olharei com o canto do olho e tu não dirás nada. A linguagem é uma fonte de mal-entendidos. Mas, cada dia, te sentarás um pouco mais perto…

No dia seguinte o príncipe voltou.

__ Teria sido melhor se voltasses à mesma hora -disse a raposa. __ Se tu vens, por exemplo, às quatro da tarde, desde as três eu começarei a ser feliz! Quanto mais a hora for chegando, mais eu me sentirei feliz. Às quatro horas, então, estarei inquieta e agitada: descobrirei o preço da felicidade! Mas se tu vens a qualquer momento, nunca saberei a hora de preparar meu coração… É preciso que haja um ritual.

__ Que é um “ritual”? -perguntou o principezinho.

__ É uma coisa muito esquecida também -disse a raposa. __ É o que faz com que um dia seja diferente dos outros dias; uma hora, das outras horas. Os meus caçadores, por exemplo, adoram um ritual. Dançam na quinta-feira com as moças da aldeia. A quinta-feira é então o dia maravilhoso! Vou passear até à vinha. Se os caçadores dançassem em qualquer dia, os dias seriam todos iguais, e eu nunca teria férias!

 

O verdadeiro amigo, dizem, é aquele que você procura e ele lhe atende em qualquer hora. O cidadão que estende sua mão mesmo se ficar anos sem lhe ver, porque justamente é o seu amigo, aquele cara que sempre lhe confortou em momentos de pânico, na hora mais escura, no momento mais incerto.

O amigo de verdade não cobra, apenas aguenta quieto, escolhe as melhores palavras para falar e se elas lhe desagradarem, ele passa conforto apenas com um olhar, porque amigo verdadeiro é o que repreende de maneira fraterna, sem ofender, sem precisar se impor de maneira bruta, mas simplesmente com um gesto de carinho e ternura. O amigo, aquele que você procura nos momentos difíceis, não liga de parar o que está fazendo para falar contigo, justamente porque o maior prazer dele é ser seu amigo.

Por mais que você pise na bola, esqueça que ele existe ou que não precisa mais dele, o amigo vigilante continua velando por você mesmo que seja em pensamento, chega em determinado momento do dia, como faz a Raposa do Pequeno Príncipe, ele começa a se alegrar em espera-lo, afinal nada é mais gostoso que encontrar aquele seu amigo mais que especial e poder trocar algumas palavras, mesmo que sejam breves.

Não adianta, você desprezar seu melhor amigo, ele não liga, não sente nada, porque já está acostumado com seu modo de agir, afinal a amizade é como uma roseira que você cuida todos os dias, mas que se você deixar, alguém vai cuidar e aquilo que está no coração jamais será retirado.

O amigo transcende, ele não cobra. O amigo não pede, ele dá. O amigo não agride, ele perdoa. O amigo não critica, ele lhe mantém de pé. O amigo abre os seus olhos e lhe mostra um caminho que ele julga mais adequado sempre, pelo simples fato de que já esteve lá antes de você.

O amigo é que aquele que deixa você viver no coração dele pelo tempo que quiser, porque é assim que ele fica feliz. O amigo não é, ele foi, porque antes pensou em você e deu suas melhores forças para lhe fazer feliz.

Estamos falando daquela pessoa que nunca cobrará nada em troca, daquele que nunca vai pedir nada para ninguém, esse é o verdadeiro, a pessoa que se machuca por você, que briga com o mundo para defender seu ponto de vista e que só discorda de suas loucuras em particular e por alguns momentos. O amigo é a fé que você não tem, o combustível que acabou ou o impulso que você precisa.

O amigo é único! Por isso, se você tem um bom amigo, cuide bem dele. Se faz tempo que não o vê aproveite a data e lhe dê um “alô”. Despoje-se de si mesmo para poder entender que a amizade não pode ser uma troca apenas de mão única, mas uma prazerosa via de sentido duplo.

Feliz dia do amigo!

Texto de R. C.