Home office: modelo demanda atualização em ferramentas de trabalho

SENAC: opção de ensino

Profissionais atuantes ou em busca de recolocação no mercado devem buscar capacitação constante para realizar suas atividades

 

Em meio à pandemia de coronavírus muitos profissionais tiveram que migrar suas atividades presenciais para serviços home office. Esta realidade trouxe aos trabalhadores novos desafios e um árduo processo de adaptação e atualização de ferramentas e sistemas operacionais necessários à rotina de trabalho. Para auxiliá-los nesse processo, Rodrigo Barreto, docente da área de tecnologia da informação do Senac São Carlos, reuniu algumas sugestões sobre como se capacitar para realizar as tarefas.

Inicialmente é preciso criar uma rotina e processos de trabalho muito bem organizados, que suavizem o impacto dessas mudanças. Rodrigo explica que o fato do ambiente familiar não necessariamente estar preparado para a situação de trabalho aliado às mudanças constantes em tecnologias – tão utilizadas no serviço remoto – pode dificultar bastante a adaptação. “Muitas empresas que atendiam exclusivamente de modo presencial tiveram que se adequar às pressas para continuar a dar assistência aos clientes. Tudo isso sem tempo para uma capacitação adequada”.

Como o uso de ferramentas de troca de documentos e de videoconferências, como Google Drive e Zoom, respectivamente, parecem ser algo que veio para ficar, o docente diz que tanto profissionais atuantes no mundo do trabalho ou em busca de uma recolocação precisam conhecê-las e aprender a utilizá-las. “Cursos on-line gratuitos são uma ótima alternativa de capacitação, já que muitos são voltados para o uso de tecnologias e facilmente encontrados em plataformas como o YouTube”.

 

Programas mais utilizados

Softwares voltados à comunicação, são os que mais demandam constante atualização no mundo do trabalho. Mas, Rodrigo faz um alerta para que as pessoas não se enganem pensando que se trata de ferramentas mais simples, principalmente porque regras de etiqueta e o uso formal da língua portuguesa são alguns dos maiores desafios para lidar com esse tipo de programa.

O Trello, por exemplo, é um aplicativo que se baseia em metodologias ágeis. Com um sistema de cartões que podem ser movidos para diferentes colunas, ele permite preencher cartões com tarefas e os mover para outras colunas quando estiverem em produção, em aprovação ou concluídas. Esse método de trabalho é comum em equipes de TI, que, muitas vezes, usam posts-its colados em lousas. O software pode ser usado para gerenciar tanto a produtividade de uma equipe de funcionários quanto a do próprio trabalho.

Vale ressaltar que a pandemia levou algumas áreas a sofrerem demissões em massa e de acordo com o docente a área de tecnologia da informação quase inabalada em outras crises, dessa vez sentiu um impacto. “A diferença é que agora já vejo uma reorganização das empresas. Enquanto algumas demitiram, outras precisaram contratar, devido a necessidade do uso dessas novas tecnologias”, explica.

Rodrigo atenta que as pessoas precisam entender que os softwares são grandes aliados da nova rotina de trabalho. “Chegamos num ponto em que nunca deixarão de ser. Mas, para que sejam usados de forma eficiente e produtiva, é preciso definir regras de convívio e rotinas. As empresas também devem dizer o que esperam dos colaboradores, em termos de resultado e entrega. Somente dessa forma levamos a parte humana para o uso da tecnologia, criando uma combinação perfeita”.

 

Serviço:

Senac São Carlos

Local: Rua Episcopal, 700, Centro – São Carlos/SP

Informações e inscrições: www.sp.senac.br/saocarlos