Horário eleitoral começa amanhã em São Carlos: você vai assistir?

O horário eleitoral ainda decide a eleição em São Carlos? Essa é a pergunta que precisa ser feito com o advento das redes sociais e da internet. Muito tempo para a TV pode ser bom para se mostrar o que foi feito ou então para se apresentar propostas à sociedade ou se criticar aquilo com o que se discorda, mas o fato é que se não houver uma dosagem da propaganda política, o horário eleitoral pode ser transformar num monstro a ser domado por quem o está produzindo para determinado candidato. Em São Carlos ele começa amanhã, dia 9.

Neste contexto, quem terá mais tempo de TV é o atual prefeito, Airton Garcia, com quase três minutos no ar. Isso é um infinidade e a peça publicitária precisará estar bem ajustada para não se transformar em algo cansativo para o eleitor. O fato é que Airton mostrará nesse tempo as realizações do seu governo e certamente o resultado da eleição (vença quem vencer!) mostrará o peso que esse tipo de procedimento ainda tem numa cidade que possui eleição com turno único. Em 2000, por exemplo, Airton era vice do então prefeito Dagnone de Melo que tinha o Jornal 14 apresentado pelo jornalista Nei Santos e mesmo assim com o maior tempo na TV, acabou derrotado por Newton Lima com uma diferença de 128 votos. Isso se repetirá dessa vez? Não dá para saber, mas o pessoal que produz a campanha de Airton é experiente suficiente para compreender que não se pode titubear no que vai ao ar no horário eleitoral.

O segundo colocado no horário em tempo é Netto Donato, do PSDB. Também segundo na eleição passada em votos, o tucano terá que encarar o desafio de propor a sua cidade e tentar ser alternativa para o atual governo num cenário onde a estrela do partido no Estado, João Doria, sofreu determinado abalo por conta da pandemia de COVID-19. Porém, Netto terá que posar como o candidato que acredita ter um projeto melhor que o oferecido pelo atual prefeito e assim ser a alternativa viável, o seu tempo quase 1min e 10 segundos é menor que o de Airton, mas pode lhe proporcionar espaço e conquista de terreno no cenário eleitoral.

O terceiro na questão de tempo de TV é Erick Silva, candidato do PT com 1min e 5 segundos. O PT já foi governo na cidade por três vezes e o background da campanha do sindicalista, por certo, deverá passar pelas administrações que o partido teve no município. O fato de Erick ser um desconhecido do grande público lhe imporá a necessidade de apresentação no horário eleitoral, pois ele tem histórico como presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Carlos, mas essa é a sua primeira eleição a um cargo fora do movimento.

Deonir Tofollo ficará com 59 segundos no horário eleitoral. O empresário que foi secretário de Agricultura de Airton Garcia e hoje concorre ao cargo de prefeito pelo Solidariedade tem andado pela cidade para apresentar seu projeto de governo à população. Seu tempo pode não ser tão grande como os quase três minutos de Airton, mas ele terá a chance de mostrar quais as propostas de sua campanha podem ser implementadas numa eventual vitória nas urnas. Na disputa majoritária, Deonir é nome novo, embora já seja uma pessoa com vivência política em São Carlos.

Marina Melo também é novata na disputa majoritária e concorrerá pelo PSD. Ela terá 44 segundos e pode ter em sua linha os dois governos de seu pai, o ex-prefeito Dagnone de Melo. Marina Melo é a única mulher na disputa ao cargo maior de São Carlos, o que precisa ser exaltado, pois deveríamos ter mais candidatas nesta eleição querendo ser prefeita. Ela concorre por um partido que tem potencial no Brasil, pois tem muitos políticos tradicionais em suas fileiras, sendo assim, seu programa será o único a oferecer ao eleitor uma cidade sob o prisma da visão feminina.

O ex-presidente da Câmara, Julio Cesar, vem pelo PL com 41 segundos. Do que se viu até agora, o vereador que foi o mais votado da história da cidade tem apostado em querer mostrar eficiência administrativa. Julio Cesar terá em suas mãos a chance no horário eleitoral de evidenciar se é capaz de postular o cargo de prefeito, haja visto que em eleições passadas foi bem votado para deputado estadual e chegou até a ser suplente. Para cargo majoritário também se apresenta como novidade. Com pouco tempo, seu programa precisará ser conciso.

Chico Loco terá 40 segundos pelo PSB. O médico que foi vereador pode ser a surpresa do horário eleitoral em termos de irreverência, pois seu nome já conhecido dos consultórios em São Carlos diz tudo. Chico Loco pautou seu trabalho na Câmara por querer uma cidade sustentável e chegou até a falar em transporte gratuito dando exemplos de outros municípios. Com seus 40 segundos, o candidato terá a chance de se mostrar ao público local pela primeira vez como cabeça de chapa. Vem loucura (no bom sentido) pela frente?

Pelo Republicanos, Sergio Ferrão, é candidato a prefeito. O tempo de 38 segundos não é grande por isso ele também deverá ser conciso nas propostas que oferecer no horário eleitoral, pois também pelo que se acompanha nas redes sociais tem falado na questão da eficiência administrativa para se mostrar como alternativa à Prefeitura.

Antonio Sasso com 23 segundos pelo Podemos, Ronaldo Motta com 16 segundos pelo PSOL, Mestre Taroba com 12 segundos pelo Avante terão pouco espaço no horário eleitoral, por isso certamente vão investir na campanha pela internet usando as ferramentas das redes sociais e o habitual corpo e corpo (com precauções sanitárias por causa da pandemia de COVID-19) para propor a cidade que desejam para a sociedade são-carlense.

Leandro Guerreiro, pelo Patriotas, ao que consta teria 15 segundos, mas abriu do seu tempo no horário eleitoral. Ele priorizará a rua e as redes, onde tem engajamento considerável.

O efeito disso tudo saberemos apenas depois de 15 de novembro, quando as urnas da última eleição com um turno em São Carlos forem totalizadas.

Renato Chimirri