iFood disponibiliza ‘Entrega sem Contato’ e minimiza interações durante pandemia do COVID-19

Como foodtech líder no país, o iFood impacta direta e indiretamente milhões de pessoas todos os dias. Por isso, reconhecendo seu papel em auxiliar a sociedade a evitar a transmissão do COVID-19, a empresa inseriu em seu app a opção de ‘Entrega sem Contato’.

A solução já está disponível aos usuários da plataforma. Para utilizá-la, os clientes devem seguir os passos abaixo:

1. Adicionar os itens normalmente e clicar em “Ver sacola”.

2. Selecionar forma de pagamento via app (assim, não haverá a necessidade de manusear maquininhas de cartão ou dinheiro).

3. Nesse momento, o usuário será direcionado a uma tela onde poderá optar por “Receber sem contato físico”. Depois, basta clicar em “Confirmar” o pedido.

4. Com o pedido feito, o cliente recebe uma mensagem de confirmação e outra avisando que ele saiu para a entrega. Então, ele poderá usar o chat do app para entrar em contato direto com o entregador e combinar o local e a melhor forma de finalizar a entrega sem contato.

5. Em casos onde o restaurante possui frota própria de entregadores, o estabelecimento pode entrar em contato; se preferir, o consumidor também pode acionar o restaurante diretamente. Essa interação também acontece no chat do app.

6. Depois de seguir todos os passos acima, vale lembrar ainda que, depois de receber tudo certinho, os clientes devem fazer a higienização correta das mãos, com água e sabão, antes de comer.

“Nossa solução tem como objetivo proteger a saúde dos clientes da plataforma e dos parceiros de entrega em um momento onde a sociedade é orientada a evitar o contato pessoal. Entendemos que nosso papel agora é facilitarmos os processos para quem utiliza o delivery como ferramenta para manter o isolamento social”, afirma Roberto Gandolfo, Vice-Presidente de Logística do iFood.

Outras recomendações Mesmo que não opte pela ‘Entrega sem Contato’, o iFood recomenda ainda aos usuários que escolham o pagamento online, evitando assim manuseio de maquininhas de cartão e dinheiro.

De acordo com autoridades globais, não há relatos que sugiram que o COVID-19 possa ser transmitido por alimentos. Ainda assim, vale reforçar práticas de higiene como limpeza das mãos e descarte de embalagens.

O iFood sugere ainda aos consumidores que revejam e sejam flexíveis com processos de entrega em seus condomínios residenciais, evitando, se possível, que os entregadores tenham que circular nos prédios e ir até os apartamentos para finalizar as entregas. “Esses profissionais independentes têm papel essencial à prestação de serviço nesse momento e precisamos preservá-los”, completa Gandolfo.

Informações e prevenção O iFood produziu, circulou e continuará enviando materiais educacionais sobre a doença com base em recomendações do Ministério da Saúde, consultorias especializadas e hospitais com informações sobre o vírus, seus sintomas e formas de prevenção. Para entregadores e restaurantes parceiros, a empresa também enviou comunicados informativos, reforçando boas práticas e medidas preventivas.

Todas as iniciativas da foodtech podem ser acessadas no site http://institucional.ifood.com.br/

A empresa segue ainda acompanhando os desdobramentos do COVID-19 a fim de manter o bem-estar de seus clientes, parceiros e colaboradores.

Sobre o iFood
O iFood, uma das mais inovadoras foodtechs do mundo e líder em delivery online de comida na América Latina, tem 26,6 milhões de pedidos mensais. Há oito anos no mercado, a empresa de origem brasileira está presente também no México e Colômbia. Atua junto aos parceiros com iniciativas que reúnem inteligência de negócio e soluções de gestão para os mais de 131,2 mil restaurantes cadastrados em 912 cidades em todo o Brasil. O iFood conta com importantes investidores, como a Movile – líder global em marketplaces móveis – e a Just Eat – uma das maiores empresas de pedidos on-line do mundo.

Anexos